Terça-feira, Junho 25, 2024
18.3 C
Lisboa
More

    Bazukas e metralhadoras usadas nos combates em frente ao Palácio do Governo em Bissau

    Com as autoridades na Guiné-Bissau ainda em silêncio sobre o que se passou no Palácio do Governo, na manhã desta terça-feira, 1, um jornalista que estava no local disse que foram utilizadas “bazukas” e metralhadoras contra o edifício.

    Militares terão, entretanto, ordenado a saída dos membros do Governo do edifício, mas desconhece-se ainda o paradeiro do Presidente Umaro Sissoco Embaló e do primeiro-ministro, Nuno Gomes Nabiam.

    Os incidentes aconteceram durante a reunião do Conselho de Ministros, que foi presidida pelo chefe de Estado e que se deu depois de uma remodelação governamental inicialmente contestada pelo primeiro-ministro.

    Essa remodelação afastou, entre outros, o secretário de Estado da Ordem Pública, Alfredo Malu, que estava envolvido nas investigações à origem de um avião retido no aeroporto de Bissau desde Outubro.

    O chefe de Estado Maior das Forças Armadas, Biaguê Nan Tam, está há vários dias em Barcelona, Espanha, em tratamento médico.

    Testemunha ocular

    O jornalista Ansumane Sow encontrava-se em frente ao edifício quando se iniciaram os tiroteios.

    “Primeiro houve um disparo de uma “bazuka”, conta Sow, quem descreveu depois como tropas fardadas saíram do edifício e registou-se uma troca de tiros

    Em conversa com a VOA, Sow, acrescentou que, mais tarde, voltou a registar-se o disparo de uma outra “bazuka”

    “Houve pânico com as populações a correrem nas ruas”, afirmou.

    As escolas foram encerradas, os mercados fecharam e “os transportes públicos autocarros e toca-tocas deixaram de circular”.

    A rádio pública e a televisão deixaram de emitir.

    A única emissora que estava inicialmente a transmitir era uma rádio privada próxima do Presidente Embaló “mas está somente a passar música e uma rádio católica”, acrescentou o jornalista.

    Há informações não confirmadas de trocas de tiros também na zona da Base Aérea, onde fica o aeroporto.

    Guterres pede fim dos combates

    O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) António Guterres, pediu “o fim imediato dos combates e o pleno respeito pelas instituições democrática” na Guiné-Bissau.

    Na nota divulgada pelo seu porta-voz, afirmou estar “profundamente preocupado com a notícia de combates violentos em Bissau”.

    Também a Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) disse estar acompanhar “com grande preocupação a evolução da situação na Guiné-Bissau, caracterizada por tiros de militares junto ao Palácio do Governo”, lê-se no comunicado.

    “A CEDEAO acompanha com grande preocupação a evolução da situação na Guiné-Bissau, caracterizada esta terça-feira, 1 de Fevereiro de 2022, pelos tiros de militares no Palácio do Governo. A CEDEAO condena esta tentativa de golpe de Estado e responsabiliza os militares pela integridade física do Presidente Umaro Sissoco Embaló e dos membros do seu Governo. A CEDEAO apela aos militares que regressem aos seus quartéis e mantenham uma postura republicana.”

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    TPI emite mandados de prisão contra comandante do Estado-Maior e ex-ministro russo

    O Tribunal Penal Internacional (TPI) anunciou nesta terça-feira (25) que emitiu mandados de detenção contra o comandante do Estado-Maior...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema