Domingo, Março 3, 2024
9.8 C
Lisboa
More

    A indústria petrolífera dos Estados Unidos continua a investir fortemente em combustíveis fósseis

    Chevron Corp. concordou em comprar a Hess Corp. por US$ 53 mil milhões, um acordo que visa impulsionar o crescimento da produção de petróleo, à medida que a indústria petrolífera dos Estados Unidos aposta em um futuro duradouro para os combustíveis fósseis.

    A aquisição dará à Chevron uma posição significativa na Guiana, o país sul-americano que é um dos mais novos produtores de petróleo do mundo. Permitirá um crescimento mais rápido da produção e retornos mais generosos para os investidores, de acordo com o comunicado.

    “O prémio aqui é a Guiana”, disse Peter McNally, analista do Third Bridge Group. “E só aumentou” desde que o petróleo foi descoberto pela primeira vez no país, há menos de uma década, disse ele.

    Este é o segundo grande negócio na indústria petrolífera dos EUA em apenas algumas semanas. A Exxon Mobil Corp. concordou em comprar a produtora de óleo de xisto Pioneer Natural Resources Co. por 58 mil milhões de dólares, sustentando uma aposta de que o petróleo e o gás continuarão a ser fundamentais para a matriz energética mundial nas próximas décadas.

    A aquisição solidificará a posição das principais empresas dos EUA no topo da indústria internacional de petróleo e gás. Embora os seus pares europeus tenham reconquistado algum favor dos investidores, mudando a sua ênfase da energia de baixo carbono para os combustíveis fósseis desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, as avaliações da Exxon e da Chevron permanecem muito mais elevadas.

    Entre as empresas petrolíferas independentes dos EUA, a Hess tem uma longa e célebre história em comparação com as empresas emergentes do xisto que passaram a dominar a cena nos últimos anos. Foi fundada em 1933 por Leon Hess, de 19 anos, que começou administrando um único caminhão de entrega de combustível e gradualmente se expandiu para uma frota de veículos e um terminal de petróleo em Nova Jersey, segundo o site da empresa.

    A Hess comprou o seu primeiro petroleiro em 1948, construiu uma refinaria de petróleo em 1957 e, em 1960, abriu o primeiro dos seus icónicos postos de gasolina verdes e brancos que se tornariam uma visão comum em todo o nordeste dos EUA. Quando Leon Hess se aposentou, em 1995, já havia construído uma multinacional com ativos no Mar do Norte, no Alasca e no Caribe.

    A compra da Hess dará à Chevron 30% de propriedade de mais de 11 mil milhões de barris – o equivalente a recursos recuperáveis na Guiana, um dos maiores novos produtores de petróleo do mundo, de acordo com o comunicado. Também acrescenta área cultivada no Golfo do México e em Bakken, uma bacia de xisto dos EUA menor que a do Permiano, onde a produção já atingiu o pico.

    O acordo aumentará a produção estimada em cinco anos da Chevron e as taxas de crescimento do fluxo de caixa livre, estendendo-as até a próxima década, de acordo com o comunicado. Os retornos para os investidores também aumentarão, com a empresa esperando recomendar um aumento de 8% em seus dividendos do primeiro trimestre em janeiro, e mais US$ 2,5 bilhões em recompras de ações assim que o negócio for fechado.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Líder da Junta Militar do Chade anuncia candidatura depois do assassinato do líder da oposição

    O líder da Junta Militar do Chade, Mahamat Idriss Deby Itno, anunciou neste sábado, 2, a sua candidatura às...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema