Quarta-feira, Maio 29, 2024
26.4 C
Lisboa
More

    PCA da TAAG garante que não vai haver despedimentos

    Ana Major, PCA da TAAG, fez sair um comunicado onde responde a várias questões sobre o futuro da companhia. Sobre os despedimentos do pessoal de cabine anunciados pelo sindicato, nega essa afirmação, e diz que apenas alguns colaboradores que estavam com contratos a tempo determinado não tiveram este vínculo renovado.

    “A TAAG não está a despedir pessoal, tão pouco Pessoal Navegante de Cabine (PNC)”, começa por esclarecer Ana Major, que no entanto, acrescenta: “Existem, contudo, alguns poucos colaboradores (PNC) sem vínculo permanente, ou seja, com contrato de trabalho por tempo determinado, tendo estes contratos atingido a sua data de término, não foram os mesmos renovados, à luz da legislação em vigor e com o devido aviso prévio. Tal não significa que os mesmos não possam ser reintegrados no futuro quando a operação crescer e assim se justificar. A administração é chamada a tomar medidas de gestão alinhadas com as boas práticas. Não faria sentido num momento em que temos que optimizar o quadro de pessoal da empresa renovar contratos temporários”.

    Sobre o fecho dos serviços da companhia em Lisboa, explicou que a empresa adoptou para a capital portuguesa o mesmo modelo que a TAAG tem no Brasil, África do Sul e Espanha, agenciamento em substituição de escritórios próprios, dando continuidade à sua operação em formato GSA (General Sales Agent) com um mínimo de colaboradores. “O modelo de GSA já foi aplicado com sucesso pela TAAG em outras geografias. Demonstra ser o formato mais eficiente, com maior economia de custos e mais ágil para lidar com volatilidade actual de mercados externos. A implementação deste modelo tem trazido resultados bastante positivos ao nível do desenvolvimento do negócio, entre os quais, maior volume de receitas, mais atractividade comercial nas escalas e mais eficiência no atendimento ao cliente”, justifica a PCA da empresa.

    O agenciamento em Lisboa será feito pela Summerwind, que foi escolhida por “ter mais de 25 anos de experiência nos domínios da representação de companhias aéreas e um registo de excelência quanto a qualidade de serviço e atendimento personalizado ao cliente, tendo merecido a confiança de mais de 15 companhias aéreas, enquanto clientes de diversos países do mundo incluindo na américa latina onde a TAAG antecipa crescer”, refere Ana Major.

    Curiosa é também a explicação da PCA da TAAG para as notícias postas a circular nas redes sociais que a Summerwind era uma empresa de um familiar do presidente da comissão executiva da companhia angolana. “É Importante realçar que «Soria» é um nome muito comum em Espanha. É como Silva, António ou Costa em Angola/Portugal. Não existe nenhuma ligação familiar entre o CEO da Summerwind, Federico Lledo Soria e o nosso CEO da TAAG, Eduardo Fairen Soria”.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Polícia faz novas buscas no caso de influência russa no Parlamento Europeu

    O procurador-geral da Bélgica afirma que um funcionário do Parlamento Europeu desempenhou um "papel significativo" numa presumível operação de...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema