Quarta-feira, Junho 19, 2024
19.9 C
Lisboa
More

    As negociações sobre o clima estão num impasse para chegar a um acordo sobre financiamento para as nações pobres

    As conversações globais antes da cimeira climática COP29 deste ano, devem encontrar uma forma de aumentar a percentagem de investimentos em energia limpa nas economias emergentes, que “permaneceu estável” nos últimos 10 anos, disse o chefe da Agência Internacional de Energia (AIE).

    As discussões sobre o aumento de fundos para ajudar os países mais pobres a combater o aquecimento global e sobre como o dinheiro será dividido entre eles ainda estão em curso, “com opiniões diferentes, se não opostas, sobre o tema”, disse o Diretor Executivo da AIE, Fatih Birol , numa entrevista.

    Antes da COP29 em Baku, no Azerbaijão, em Novembro, os países estão a elaborar detalhes de um novo objectivo anual de financiamento climático, que provavelmente será de pelo menos centenas de milhares de milhões de dólares. O tema tornou-se controverso nas cimeiras da ONU, uma vez que um objectivo anterior de financiamento climático estabelecido em 2009 para entregar 100 mil milhões de dólares por ano até 2020 às nações mais pobres só foi atingido uma vez, em 2022, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, OCDE.

    Os investimentos globais em energia limpa estão a crescer significativamente, mas a quantidade de dinheiro destinada aos países emergentes e em desenvolvimento “permaneceu estável” em 15% do montante total desde 2015. Atualmente é de cerca de 250 mil milhões de dólares.

    Juntamente com quem deve receber financiamento, um dos maiores pontos de tensão no financiamento climático é quem deve contribuir para a conta cada vez maior das alterações climáticas. Os países desenvolvidos argumentam que todas as nações com elevadas emissões precisam de contribuir com financiamento. A China e a Arábia Saudita, entre outros, insistiram que a responsabilidade cabe às nações desenvolvidas que mais contribuíram para as emissões históricas de gases que aquecem o planeta.

    Embora a COP28 no Dubai no ano passado tenha produzido alguns resultados positivos, com os países a concordarem pela primeira vez em abandonar a energia suja, é necessário fazer mais trabalho para trazer transparência ao processo de monitorização dos compromissos, especialmente quando se trata de reduções das emissões de metano, implantação de energia renovável e duplicação da taxa de eficiência energética.

    A AIE publicará um relatório sobre o investimento energético mundial em 6 de junho para mostrar quanto dinheiro foi destinado aos combustíveis fósseis, país por país, e o montante gasto em energias renováveis em 2023-2024.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Nvidia torna-se empresa mais valiosa da bolsa do mundo

    A fabricante de semicondutores Nvidia se tornou, nesta terça-feira (18), a empresa mais valiosa do mundo, superando Apple e...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema