Segunda-feira, Julho 22, 2024
32.8 C
Lisboa
More

    Standard Bank vai avançar com financiamento do oleoduto do Uganda de 5 mil milhões de dólares

    O principal credor de África, o Standard Bank, espera ajudar a financiar parte do planeado Oleoduto de Petróleo Bruto da África Oriental (EACOP), de 5 mil milhões de dólares, um projecto controverso que fez com que activistas ambientais apelassem aos bancos para abandonarem o financiamento do oleoduto.

    O projecto EACOP , com um preço de 5 mil milhões de dólares, prevê a construção de um gasoduto de 1.443 quilómetros desde o interior do Uganda até ao porto de Tanga, na Tanzânia. Espera-se que o oleoduto traga petróleo bruto do projecto Lake Albert, no Uganda, para o mercado internacional de petróleo. Ele foi projetado para transportar 216 mil barris de petróleo bruto por dia, com um aumento de até 246 mil bpd, diz Uganda.

    O oleoduto, que será o maior de África, faz parte do plano abrangente do Uganda para desenvolver os seus recursos petrolíferos.

    O projecto EACOP está a ser desenvolvido e será operado pela EACOP Ltd, uma empresa composta pela subsidiária local da francesa TotalEnergies, bem como pela UNOC, pela Tanzania Petroleum Development Corporation (TPDC) e pela China National Offshore Oil Company (CNOOC).

    No meio de controvérsias e de apelos contínuos aos bancos para que parem de financiar a exploração de petróleo e gás e o desenvolvimento de infraestruturas, o Standard Bank contratou em 2021 um consultor independente para o ajudar a decidir se aceita ou não o envolvimento no projecto.

    O banco concluiu a sua revisão ambiental e de devida diligência que durou anos, disse o presidente do Standard Bank, Nonkululeko Nyembezi, à Bloomberg numa entrevista publicada na quinta-feira.

    “Temos todos os credores”, acrescentou o executivo.

    Os desenvolvimentos do campo estão em curso e a TotalEnergies poderá fazer um anúncio sobre o oleoduto nos próximos meses, disse Nyembezi à Bloomberg, acrescentando que há “compromisso total por parte dos patrocinadores dos projectos petrolíferos para o concretizar”.

    Entretanto, os activistas apelam às companhias de seguros para evitarem o projecto, enquanto a Human Rights Watch afirmou em Novembro que o planeado oleoduto na África Oriental “devastou os meios de subsistência de milhares de pessoas no Uganda e irá exacerbar a crise climática global”.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Trump diz que Kamala Harris será mais fácil de derrotar do que Biden

    O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse à CNN neste domingo que acha que será...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema