Segunda-feira, Junho 24, 2024
24.4 C
Lisboa
More

    Ativistas em Bissau: “Não cometemos nenhum crime”

    Nove ativistas detidos durante um protesto em Bissau contra o Presidente Umaro Sissoco Embaló foram ontem libertados e dizem-se inocentes. Defesa quer punição de “responsáveis políticos”.

    Os nove ativistas detidos a 18 de maio foram ontem postos em liberdade sob termo de identidade e residência, por ordem do Tribunal Regional de Bissau, depois de terem sido ouvidos durante mais de sete horas no Ministério Público.

    Beatriz Furtado, advogada dos detidos, acusa o Estado guineense de sequestro contra os ativistas. E promete processar o Governo, “porque, durante dez dias, foram privados da liberdade injustamente e espancados”.

    “Alguém vai ter de ser responsabilizado politicamente”, disse a advogada à imprensa.

    Ativistas dizem-se inocentes

    Os ativistas foram detidos durante um protesto do movimento civil “Frente Popular” contra o regime do Presidente Umaro Sissoco Embaló. A Liga Guineense dos Direitos Humanos afirmou que os detidos foram torturados na prisão – de forma “brutal”, no caso do líder do grupo, Armando Lona.

    Já em liberdade, Lona prometeu aos jornalistas que não dará tréguas: “Não cometemos nenhum crime”, assegurou.

    “Assumimos a nossa responsabilidade enquanto cidadãos guineenses que têm a Constituição acima de tudo. É em nome desses valores da República que decidimos lutar. Vamos continuar a defender a República com toda a humildade nos ditames constitucionais.”

    Armando Lona disse que, nos próximos dias, revelará “todos os pormenores” da detenção e anunciará novas ações de protesto.

    Para o presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, Bubacar Turé, a libertação dos ativistas “é uma mensagem clara para aqueles que pretendem instaurar o autoritarismo e a ditadura na Guiné-Bissau”.

    Manifestações encomendadas?

    O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, acusou os ativistas de promoverem “manifestações encomendadas” no país.

    “As pessoas devem ter a noção da responsabilidade, a política faz-se com ética deontológica. Agora, o que não haverá neste país é a desordem, as pessoas devem ter respeito pelo povo que vota”, disse Sissoco Embaló.

    Mas o líder da Frente Popular rejeita as acusações.

    “Não temos nenhuma encomenda, estamos a assumir a nossa responsabilidade, porque este país merece muito mais”, afirmou Armando Lona.

    Publicidade

    spot_img
    FonteDW

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Biden e Trump se enfrentam em primeiro debate na quinta-feira

    O primeiro debate entre o democrata Joe Biden e o republicano Donald Trump na corrida à Casa Branca, marcado...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema