Segunda-feira, Julho 22, 2024
35.1 C
Lisboa
More

    PR realça crescimento das TICs

    O Presidente da República, João Lourenço, realçou esta quinta-feira o crescimento do sector das telecomunicações e tecnologias de informação, graças ao investimento feito pelo governo, o que permite o acesso de 11 milhões e 250 mil 250 angolanos à Internet.

    Discursando na abertura do Fórum Internacional de Tecnológicas de Telecomunicações e Comunicações (ANGOTIC), confirmou que estes investimentos resultaram no crescimento significativo da rede de telefonia móvel entre os anos 2021 a 2023, de 59,2 por cento em termos de assinantes.

    Quanto à taxa de penetração da Internet, o Presidente realçou que verificou-se também um crescimento de 75 por cento por cem habitantes, correspondendo a um crescimento de 28,8 por cento.

    Relativamente ao acesso a Internet, frisou, os ganhos registado são igualmente significativos e, no período em análises, o número de subscritores atingiu a cifra de 11 milhões 250 mil 250 usuários, sendo que a taxa de penetração passou para 33 por cento.

    O Chefe de Estado notou que este crescimento do sector foi possível graças aos investimentos feitos pelo governo em infraestruturas básicas, formação de quadros, assim como no empenho e comprometimento dos operadores.

    Entre as infraestruturas fundamentais que passaram a reforçar o sector, destacou a expansão da rede de fibra óptica terrestre, estando em preparação a instalação de mais de cerca de dois mil quilómetros, a adesão de Angola ao cabo submarino 2 África e a consolidação do programa espacial nacional com a comercialização da capacidade do satélite Angosat 2.

    Apontou também a preparação das condições técnicas para a instalação da televisão digital terrestre e a interligação de Angola com os países fronteiriços via fibra óptica terrestre.

    João Lourenço disse ainda que estes dados destacam uma expansão significativa na acessibilidade e o uso dos serviços de telecomunicações em Angola.

    Afirmou que o crescimento das subscrições móveis e do crescimento da penetração da Internet reflecte o crescimento da demanda por conectividade e a adopção de tecnologias digitais pela população e empresas.

    Justificou que este aumento pode ser atribuído a diversos factores, com destaque para a expansão das redes de telecomunicações, a maior oferta de planos acessíveis e a melhoria das infraestruturas.

    “O aumento da taxa de penetração da telefonia móvel e da Internet é indicativo positivo de inclusão digital e de desenvolvimento económico, pois facilita e agiliza o acesso à informação, educação, serviços financeiros e oportunidades de negócios”, asseverou.

    Cenário global e africano

    No seu discurso, o Titular do Poder Executivo afirmou que com a evolução vertiginosa das tecnologias emergentes como a inteligência artificial, 5 G, BigData e Internet das Coisas, aproxima-se rapidamente para um mundo inteligente, conectado integralmente, que acarreta consigo inúmeros desafios.

    Nesta perspectiva, disse que o alcance das tecnologias inteligentes abrange uma ampla variedade de cenários incluindo conexões inteligentes para a administração pública, entidades governamentais, pessoas, residências, entre outros, fazendo aumentar a procura dos consumidores por uma experiência viável em múltiplas dimensões.

    Segundo o PR, este cenário torna impensável, nos dias de hoje, a ausência dos serviços digitais nas vidas das pessoas, das organizações e das empresas.

    Por outro lado, prosseguiu o estadista, estudos actuais indicam que os sistemas digitais podem contribuir para que se atinja rapidamente cerca de 70 por cento das 169 metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, segundo dados da ONU.

    No entanto, reconheceu que a exclusão digital ainda apresenta números preocupantes uma vez que o índice de penetração da Internet cobre apenas 67 por cento da população mundial, segundo dados da União Internacional das Telecomunicações.

    Em África, João Lourenço lamentou o facto de o índice de penetração da Internet representar apenas 37 por cento, um indicador baixo que deve constituir uma preocupação de todos para juntos desenvolverem acções para inverter o quadro.

    Porém, a região austral é a que apresenta maior índice de penetração em todo o continente.

    De acordo com o Presidente, apesar de este índice de penetração de Internet em África ser relativamente baixo, registou-se com agrado nos últimos anos um crescimento significativo de utilizadores da Internet o que é superior à média de outros continentes.

    Após proceder a abertura, João Lourenço visitou demoradamente diversos stands expostos no ANGOTIC2024.

    O “Angola ICT Fórum 2024” – ANGOTIC – é uma iniciativa do Governo de Angola, organizado pelo Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS).

    As autoridades organizadoras esperam que esta 4ª edição seja um “fórum de dimensão em termos de importância e conteúdos”. ART

    Publicidade

    spot_img
    FonteANGOP

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Trump diz que Kamala Harris será mais fácil de derrotar do que Biden

    O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse à CNN neste domingo que acha que será...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema