Segunda-feira, Julho 15, 2024
20.3 C
Lisboa
More

    O puzzle dos altos cargos da UE está quase resolvido e António Costa é o favorito para presidente do Conselho Europeu

    Parece estar a surgir um consenso invulgarmente precoce em torno dos nomes preferidos para ocuparem a mesa principal da UE: Ursula von der Leyen, da Alemanha, para um segundo mandato como presidente da Comissão Europeia, António Costa, de Portugal, como presidente do Conselho Europeu, Roberta Metsola, de Malta, como chefe do Parlamento Europeu e Kaja Kallas da Estônia como chefe de política externa.

    Embora nada esteja definido, o esboço de um acordo é esperado para o jantar informal marcado para os líderes do bloco em 17 de junho, disseram oito autoridades e diplomatas europeus ao POLITICO. Todos receberam anonimato para falar abertamente sobre as conversas em andamento entre os líderes europeus.

    Parte da razão para o optimismo sobre o calendário é que o Presidente francês Emmanuel Macron terá pouca margem de manobra para os seus truques regulares como o grande disruptor.

    Nos dias desde que os liberais franceses e Macron, um dos principais mediadores na discussão sobre os principais empregos, encontraram uma derrota esmagadora nas mãos da extrema-direita nas eleições da UE, o seu poder de negociação em Bruxelas foi minado. A sua atenção está agora voltada para as eleições antecipadas que convocou em França, e não para os empregos em Bruxelas.

    Juntamente com a guerra da Rússia na Ucrânia e o potencial regresso do antigo presidente dos EUA, Donald Trump, à Casa Branca depois das eleições dos EUA de Novembro, a Europa não pode permitir-se negociações internas em sacrifício da estabilidade, disseram as autoridades e diplomatas europeus.

    O rápido alinhamento diplomático em torno dos Quatro Grandes contrasta fortemente com as expectativas antes das eleições europeias, quando Bruxelas estava repleta de rumores de que Macron estava considerando alternativas a von der Leyen como chefe do executivo da UE.

    Na verdade, a rapidez do consenso fez com que alguns diplomatas temessem que se aproximasse um obstáculo. “Quanto mais otimismo ouço, mais nervoso fico”, disse um diplomata da UE.

    O Partido Popular Europeu, que continua sendo a maior força política após a eleição europeia, quer garantir um segundo mandato de cinco anos para von der Leyen. Com Macron focado em sua própria turbulência política doméstica, os líderes do Continente estão quase certos de que a farão passar.

    António Costa no Conselho?

    Os Socialistas, o segundo maior grupo no Parlamento Europeu e uma parte fundamental da actual coligação centrista, estão de olho na liderança do Conselho Europeu, que representa os 27 países membros da UE.

    Costa é claramente o favorito na corrida para suceder ao atual presidente do Conselho Europeu, Charles Michel – tanto que os diplomatas já estão a especular sobre quem se tornaria o seu chefe de gabinete caso ele conseguisse o cargo.

    No início desta semana, o actual primeiro-ministro de centro-direita de Portugal, Luís Montenegro, disse que Lisboa apoiaria António Costa para o cargo. “Montenegro só faria isso se soubesse que Costa tinha boas hipóteses”, disse o segundo responsável da UE.

    Mas não é um acordo fechado: a candidatura de Costa ainda pode ser complicada pelos seus problemas jurídicos em Portugal.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Trump é retirado de comício na Pensilvânia após disparos

    O ex-presidente americano Donald Trump, candidato à reeleição, foi retirado do palco neste sábado durante um comício na Pensilvânia,...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema