Terça-feira, Abril 16, 2024
15.9 C
Lisboa
More

    A Arábia Saudita lança um empréstimo de US$ 11 biliões para financiar o défice, enquanto as negociações da OPEP estão num impasse

    A Arábia Saudita angariou 11 mil milhões de dólares através de um empréstimo sindicalizado, o maior a nível mundial concedido a um governo este ano, numa tentativa de financiar um défice orçamental num contexto de receitas petrolíferas mais fracas.

    O empréstimo de 10 anos foi financiado por pelo menos 15 bancos, incluindo o Banco Industrial e Comercial de China Ltd., Citigroup Inc., First Abu Dhabi Bank PJSC e HSBC Holdings Plc, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. O empréstimo tem uma margem de 100 pontos base acima da taxa de referência de financiamento overnight garantida (SOFR), disseram as pessoas.

    A Arábia Saudita reviu as suas perspetivas financeiras, prevendo défices de 2023 até pelo menos 2026, de acordo com uma projeção orçamental de médio prazo publicada em Outubro. O défice surge num contexto de preços do petróleo mais fracos do que o esperado, da produção mais baixa a partir de maio e do aumento dos gastos governamentais, à medida que o reino investe centenas de milhares de milhões de dólares numa campanha de diversificação liderada pelo príncipe herdeiro e batizada de Visão 2030.

    Embora parte do plano Visão 2030 seja financiado pelas receitas do petróleo, o governo também precisa de atrair investimento estrangeiro e contrair empréstimos. No final do terceiro trimestre, a dívida do governo era de 994 mil milhões de riais (265 mil milhões de dólares).

    Muitos analistas consideram que a tentativa da Arábia Saudita de reduzir a produção de petróleo dentro da OPEP para exercer pressão ascendente sobre os preços está ligada à necessidade de financiar o projeto Visão 2030. As negociações da OPEP estão num impasse devido à recusa de Angola, Nigéria e Congo em reduzir as suas quotas de produção com base numa auditoria lançada pela OPEP que eles rejeitam.

    Leia mais: ANGOLA, NIGÉRIA E CONGO REJEITAM AUDITORIA ÀS SUAS CAPACIDADES DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO, ABRINDO UMA CRISE NA OPEP

    “As autoridades procuram manter uma combinação semelhante de financiamento externo e interno e também estão a explorar as suas opções no mercado de empréstimos sindicalizados para o financiamento de projetos específicos”, disseram economistas do Goldman Sachs Group Inc.

    Muitos organismos importantes que investem em projetos da Visão 2030, incluindo o Fundo de Investimento Público e as suas subsidiárias que desenvolvem a nova cidade de Neom, já contraíram empréstimos de dezenas de milhares de milhões de dólares.

    O último financiamento da Arábia Saudita marcou o terceiro ano consecutivo em que o reino emitiu o maior empréstimo sindicalizado para uma nação soberana, de acordo com dados compilados por Bloomberg.

    Por Editor Económico
    Portal de Angola

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Depois da Secretária do Tesouro dos EUA, Chanceler Alemão chega à China com a missão de reduzir as tensões económicas

    O chanceler alemão, Olaf Scholz, levará uma mensagem delicada à China esta semana: Pequim ainda não agiu de acordo...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema