Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024
16.9 C
Lisboa
More

    Jovens denunciam “detenção arbitrária” durante manifestação em Bissau

    Este domingo, o Secretariado Nacional da Juventude Africana Amílcar Cabral (JAAC) denunciou "a detenção arbitrária" de jovens durante uma manifestação junto à sede da CEDEAO, em Bissau. O grupo pede a “imediata e incondicional libertação” dos detidos.

    Um grupo de jovens guineenses manifestou-se, este domingo, diante da sede da Comunidade Económica de África Ocidental (CEDEAO), na Guiné-Bissau, para apelar ao “respeito da Constituição” e o regresso ao normal funcionamento da Assembleia Nacional depois da sua dissolução pelo Presidente da República, a 4 de Dezembro.

    A manifestação pacífica aconteceu no dia em que os líderes da CEDEAO se reúnem em cimeira, em Abuja, na Nigéria. Espera-se que crise política na Guiné-Bissau seja um dos temas da reunião em que participa o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló.

    Em comunicado, o Secretariado Nacional da Juventude Africana Amílcar Cabral (JAAC) “denuncia a detenção arbitrária de seus dirigentes em pleno exercício do seu direito de manifestar junto da representação da CEDEAO” e exige a “imediata e incondicional libertação” dos detidos.

    A vice-secretária-geral da JAAC, Segunda Indami, contou à RFI que a polícia fez quatro detenções e não sabe para onde foram levados os colegas. “Estávamos à frente da CEDEAO, fazendo uma manifestação pacífica, dizendo ‘Queremos a paz, queremos a justiça, queremos o respeito da Constituição da República”, contou.

    “Chegaram ali, começaram a dispersar as pessoas, pegaram alguns colegas. Só temos conhecimento de quatro colegas que foram levadas. Neste momento, ainda estamos com dificuldade de confirmar o número exacto das pessoas que foram presas. Algumas pessoas estão dispersas e não conseguimos localizar onde estão. É complicado confirmar o número exacto de pessoas que foram presas porque, nesse momento, nem sequer sabemos para onde foram levadas. É muito preocupante”, acrescentou.

    Entretanto, em comunicado, Domingos Simões Pereira, o Presidente do Parlamento, pediu aos deputados eleitos em Junho para que compareçam na Assembleia na quarta-feira. Ele apela à retoma da sessão plenária às 10 horas de quarta-feira.

    O líder do parlamento exorta o Governo a garantir as condições de inviolabilidade do espaço. Nas várias entrevistas e declarações públicas que Domingos Simões Pereira tem feito, desde que o Presidente Umaro Sissoco Embaló dissolveu o parlamento, o também líder do PAIGC tem repetido que se os militares impedirem os deputados de acederem às instalações parlamentares então estariam a dar eles mesmos um “golpe institucional”.

    O presidente do parlamento tem considerado que o decreto presidencial que dissolveu a Assembleia não tem força jurídica por não respeitar a Constituição que impõe um limite de 12 meses, após as eleições legislativas, antes de o parlamento poder ser dissolvido.

    O Presidente Umaro Sissoco Embalo dissolveu a assembleia, na segunda-feira, justificando com a existência de uma grave crise institucional no país, depois de confrontos armados entre elementos da Guarda Nacional e as Forças Armadas dias antes, algo que qualificou como “tentativa de golpe de Estado”.

    Para Domingos Simões Pereira essa decisão do chefe do Estado não tem força jurídica à luz da Constituição da Guiné-Bissau e o impedimento dos deputados em aceder às instalações foi qualificado por ele como “um efectivo golpe institucional por parte de militares”.

    Com a dissolução do parlamento, o Presidente guineense informou que o Governo liderado pelo primeiro-ministro, Geraldo Martins, fica em gestão até à formação de um novo executivo que prometeu para esta semana.

    Por Carina Branco / Mussá Baldé

    Publicidade

    spot_img
    FonteRFI

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Dani Alves considerado culpado de violação de uma mulher numa discoteca em Espanha

    O futebolista brasileiro de 40 anos negou qualquer infração durante o julgamento de três dias que decorreu este mês....

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema