Sexta-feira, Abril 19, 2024
19.6 C
Lisboa
More

    Trabalho infantil evidente em Luanda

    (AP)
    (AP)
    Menores vindos das diversas províncias angolanas trabalham na construção civil em Luanda, constatou a Voz da América.

    Muitos desses adolescentes disseram ter sido enviados para Luanda com autorização das suas famílias como meio de usufruírem de rendimentos para as suas famílias empobrecidas.

    A Organização Internacional do Trabalho disse recentemente que o trabalho infantil continua a ser um problema em crescimento em Angola e que muitas crianças são agora empregadas por companhias chinesas

    A Voz da América procurou falar com alguns dos adolescentes que trabalham na construção e que disseram não ter outras oportunidades.

    Nas obras das centralidades do Kilamba e do Zango, encontram-se vários jovens angolanos que não sabem ler nem escrever e tímidos para pronunciarem qualquer palavra. Muitos deles dormem nos próprios locais de trabalho.

    Sem saber a sua própria idade, mas aparentando entre 14 á 16 anos, mesmo com o movimentar das máquinas conseguimos conversar com algos dos petizes nas obras de empresas chinesas.

    Esses jovens foram trazidos com o consentimento da suas mães do Lubango província da Huila para conseguir o seu ganha-pão num trabalho que se resume na cortagem de capim, carregamento e descarrega de blocos entre outras.

    “São os chineses que vão nos buscar. Eles falam com as nossas mães,” disse um deles.

    Questionado sobre a sua idade disse “não sei” e os outros? “também não sei”.
    Noutros locais constatamos jovens vindos das Províncias da Huila, Benguela, Cunene, Bié e Kwanza Norte

    Segundo Sozinho Amândio, outro adolescente trabalhador o salário mensal são dezanove mil kwanzas.

    “Eu já estou aqui a seis meses, pagam no máximo 19 mil kwanzas,” disse.
    “Antigamente pagavam mais e só estou aqui mesmo porque não tenho mais nada à fazer” acrescentou

    A Voz da América constatou também que em obras do estado há também menores adolescentes a trabalharem, mesmo em maior número do que nas empresas construtoras chinesas.

    (voaportugues.com)

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    FMI altera regras para acelerar acordos de dívida com países em desenvolvimento e evitar atrasos causados pela China

    O conselho executivo do Fundo Monetário Internacional apoiou uma mudança importante para dar-lhe mais liberdade para apoiar países em...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema