Segunda-feira, Julho 15, 2024
20.3 C
Lisboa
More

    Zelensky já sobreviveu a (pelo menos) três tentativas de assassinato

    Foram enviadas nestas missões – que ocorreram apenas na última semana – duas unidades: os mercenários Wagner, apoiados pelo Kremlin, e as forças especiais chechenas.

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, sobreviveu, na semana passada, a pelo menos três tentativas de assassinato, noticia o The Times. De acordo com a mesma publicação, foram enviadas nesta ‘missão’ duas unidades distintas: os mercenários Wagner, apoiados pelo Kremlin, e as forças especiais chechenas.

    Membros dos mercenários Wagner perderam a vida durante as ações para tentar matar Zelensky e, segundo o The Times, ficaram “alarmados” com a precisão com que os ucranianos conseguiram antecipar os seus movimentos.

    Uma fonte próxima do grupo terá mesmo afirmado ser “estranho” o quão bem informada a equipa de segurança de Zelensky parecia estar. O mesmo jornal indica que a segurança do presidente ucraniano terá sido ajudada por elementos das secretas russas.

    Quanto à tentativa das forças especiais chechenas de tirar a vida ao chefe de estado da Ucrânia, esta ocorreu no passado sábado, nos arredores de Kyiv, a capital. O grupo de chechenos foi “eliminado” antes de conseguir o objectivo.

    Recorde-se que a Rússia lançou, na madrugada de 24 de fevereiro, uma ofensiva militar com três frentes na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamentos em várias cidades. As autoridades de Kiev contabilizaram, até ao momento, mais de 2.000 civis mortos, incluindo crianças, e, segundo a ONU, os ataques já provocaram mais de um milhão de refugiados na Polónia, Hungria, Moldova e Roménia, entre outros países.

    O Presidente russo, Vladimir Putin, justificou a “operação militar especial” na Ucrânia com a necessidade de desmilitarizar o país vizinho, afirmando ser a única maneira de a Rússia se defender e garantindo que a ofensiva durará o tempo necessário.

    O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional, e a União Europeia e os Estados Unidos, entre outros, responderam com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas para isolar ainda mais Moscovo.

    Publicidade

    spot_img
    FonteNM

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Trump é retirado de comício na Pensilvânia após disparos

    O ex-presidente americano Donald Trump, candidato à reeleição, foi retirado do palco neste sábado durante um comício na Pensilvânia,...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema