Domingo, Maio 26, 2024
20.1 C
Lisboa
More

    Congo: Pescadores angolanos incorrem a pena de seis meses de prisão

    Os cinco pescadores angolanos detidos desde o dia 8 de Janeiro deste ano, em Ponta-Negra, República do Congo, por violação das águas congolesas e pesca ilegal, poderão cumprir uma pena de seis meses de prisão.

    Na quinta audiência realizada na terça-feira, no Tribunal de Grande Instância de Ponta-Negra, com a apresentação das alegações entre o Ministério Público e a defesa, a acusação propôs a pena de seis meses de prisão pelos crimes de violação das águas territoriais, pesca ilegal em zonas retristas e de segurança marítima.

    Segundo ainda o Ministério Público, os pescadores incorrem em crimes de ameaça à segurança marítima, das plataformas e destruição das reservas piscatórias, na costa congolesa de Ponta-Negra.

    Por seu turno, os três advogados da defesa dos pesadores angolanos, sublinham estarem desalinhadas e infundadas as declarações da acusação, por não se ajustarem às leis marítimas daquele país e por falta de clareza e veracidade dos factos a que estão a ser acusados.

    Os pescadores Carlos Sassa Nhimi, Abrão Capita Luemba, David Bondimbo, Nhati Filipe Luemba e Agostinho Manuel Barros foram forçados a atingir as águas congolesas por avaria no motor de popa da pequena embarcação artesanal que têm utilizado para a pesca normal, no mar de Cabinda.

    Por isso, os advogados de defesa acreditam que o Tribunal de Grande Instância deverá determinar a libertação dos acusados por não terem cometido qualquer crime de violação das águas, bem como perigar a segurança das plataformas petrolíferas e prejudicar as reservas piscatórias congolesas.

    Em função dos acesos debates registados nas cinco (5) sessões de julgamento, o Tribunal de Grande Instância do departamento (província) de Ponta-Negra entendeu adiar para mais uma sessão, a sexta, a ter lugar no próximo dia 28 do corrente mês, para anunciar a sentença final.

    Os serviços consulares de Angola em Ponta-Negra, embaixada de Angola no Congo e o seu embaixador, Vicente Muanda, que tem redobrado esforços diplomáticos, acompanham o desenrolar do julgamento.

    Familiares dos detidos viajam semanalmente para a cidade vizinha de Ponta-Negra para assistir, as terça-feiras, a audiência do julgamento dos pecadores que se encontram detidos há mais de 40 dias numa das cadeias prisionais na cidade de Ponta-Negra (RC).

    A ANGOP soube que os familiares dos detidos fizeram já o pagamento das despesas solicitadas pelos advogados, cujo montante não foi revelado. PL/VM

    Publicidade

    spot_img
    FonteANGOP

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Anora de Sean Baker vence Palma de Ouro em Cannes. Miguel Gomes recebe Melhor Realização com Grand Tour

    O realizador norte-americano recebeu o prémio de Melhor Filme no Festival de Cinema de Cannes pelo qual "trabalhou toda...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema