Domingo, Maio 19, 2024
15.3 C
Lisboa
More

    Território do Zaire é vulnerável aos traficantes de seres humanos

    A província do Zaire é vulnerável à imigração ilegal e suspeita de servir de rota do tráfico de seres humanos, devido à sua extensa fronteira terrestre e fluvial com a região do Baixo Congo, na República Democrática do Congo (RDC).
    Esta é uma das conclusões saídas do seminário subordinado ao tema “Tráfico de Seres Humanos e Assistência às suas Vítimas”, realizado em Mbanza Congo, sob auspícios da Organização Internacional para as Migrações (OIM).
    Os participantes recomendaram, perante o quadro traçado, o reforço da parceria entre a sociedade civil e os órgãos locais do Estado na denúncia e combate à imigração ilegal e ao tráfico de seres humanos.
    As conclusões do seminário incluem também a identificação e assistência a presumíveis vítimas do tráfico de seres humanos e a realização, com maior abrangência, de acções de formação no seio das comunidades e dos agentes de manutenção da lei.
    Durante o encontro, orientado pela coordenadora do projecto da OIM sobre o tráfico de seres humanos, Lorena Pinto, os participantes analisaram temas como “conceito de tráfico de seres humanos”, “diferença entre imigração ilegal e tráfico de seres humanos”, “descrição e tipos de tráfico” e “causas e consequências do tráfico”.
    Na sessão de abertura, Lorena Pinto sublinhou que o combate ao tráfico de seres humanos não é tarefa exclusiva dos governos, mas de toda a sociedade, a disse que os movimentos migratórios actuais exigem que as vítimas do tráfico sejam assistidas e protegidas. “Devem ser tomadas medidas concretas para a recuperação de pessoas traficadas. A assistência e protecção devem ser oferecidas pelas organizações internacionais nos países de destino, de trânsito ou de origem”, disse Lorena Pinto. A responsável da OIM acrescentou que a assistência deve ser múltipla e não limitar-se ao alojamento, cuidados médicos, assistência psicológica, educação, formação profissional e transportação. Lerena Pinto sublinhou que dada a sua complexidade, o tráfico de seres humanos merece uma abordagem profunda do governo e da sociedade civil para a prevenção e combate a esse crime organizado.
    As organizações da sociedade civil são os principais agentes na luta contra o tráfico de seres humanos, na medida em que elas têm acesso fácil às comunidades propensas ao tráfico. “Podem transmitir as mensagens de prevenção às comunidades e fornecer assistência directa às vítimas”, sugeriu, acrescentando que é “nesta esteira que surge a ideia de se realizarem acções de formação no domínio da luta contra o tráfico de seres humanos e se criar um sistema de referência para uma assistência adequada às vítimas do tráfico”.

     

     

    Fonte: Jornal de Angola

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    TSE suspende julgamento de ações que pedem cassação de Moro por atos na pré-campanha em 2022; caso será retomado na 3ª

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu nesta quinta-feira o julgamento das ações que pedem a cassação do senador Sergio...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema