Segunda-feira, Abril 15, 2024
22.2 C
Lisboa
More

    SME leva a tribunal mais de 200 cidadãos por auxílio à imigração

    O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) em Cabinda encaminhou para o tribunal provincial, durante o ano de 2011, duzentos e setenta cidadãos de diversas nacionalidades que nesta cidade praticavam auxílio à imigração ilegal.

    Em declarações à imprensa local, Manuel Gomes, director provincial do SME em Cabinda, disse que tudo se deveu ao redobrar de esforços atinentes à organização interna, visando o combate à imigração ilegal face ás suas consequências.

    Sublinhou que dos cidadãos encaminhados aos orgãos de justiça, 54 são angolanos e 216 estrangeiros, sendo 202 da RDC, oito do Congo Brazaville, um da Guiné Conacry igual número da Gambia e quatro Malianos, número que considerou estar a aumentar em relação ao ano de 2010.

    Quanto à fiscalização, Manuel Gomes disse que foram realizadas 186 acções a 400 casas catalogadas e que foram repatriados neste
    mesmo período (Janeiro a Dezembro de 2011) 10 mil e 844 estrangeiros ilegais (permanência ilegal) dos quais 10 mil e 435 são da RDC, 373 do Congo Brazaville e um chinês e igual número de Mauritano, assistindo-se de haver um aumento quanto a essa prática na cidade de Cabinda.

    O director do SME em Cabinda disse também que foram recusadas por falta de requisitos exigidos pelo serviço de migração e estrangeiros, 887 cidadãos estrangeiros, mais 182 relativamente ao ano de 2010.
    Destas recusas, destacam-se os cidadãos estrangeiros do Congo Democrático com 538 pessoas, Congo Brazaville com 324, enquanto outras nacionalidades como sul-africana com um cidadão, camaronesa com duas, ivoiriense com seis, três sudanesas, oito malianos, dois mauritanianos, uma ugandesa e igual número de beninense e libanês.

    Foram também impedidos de sair do território nacional 85 cidadãos estrangeiros de diversas nacionalidades, menos 55 em relação ao ano de 2010, destacando-se os congoleses democráticos e de Brazaville com 34 e 13 cidadãos respectivamente, bem como os malianos com nove pessoas.

    Manuel Gomes avança ainda que tendo em conta as medidas que o SME em Cabinda tem vindo a aplicar com a distribuição de cartilhas e folhetos que apelam aos acidadãos nacionais de se absterem de auxílio a imigração ilegal, abandonaram a província voluntariamente, quatro mil e 313 estrangeiros ilegais, mais mil e 327 em relação ao ano de 2010.

    Deste número de saidas voluntárias, quatro mil e 289 são da República Democrática do Congo e 24 do Congo Brazaville cujas fronteiras do Yema, Massabi, MBaca-Kossi, Chimbuandi e Beira-Nova, foram as portas de saída para seus respectivos países.

    No seu encontro com a imprensa local, o director do SME em Cabinda falou ainda sobre o sector de emissão de passaportes em que
    durante o ano de 2011 foram recebidos um total de três mil e 901 emissões deste documento, mais de mil e 334 em relação ao ano de 2010. Foram encaminhados três mil e 593, mais mil e 208 comparativamente ao ano de 2010 e emitidos três mil e 586 processos, mais 60 em relação ao ano de 2010.

    O SME em Cabinda controla dois mil e 753 estrangeiros na condição de residentes sendo dois mil e 46 com vistos de trabalho, 58 sob permanência ao abrigo do visto de trabalho, 623 residentes e 26 refugiados.

    Em termos de receitas foram arrecadas mais de 160 milhões de kwanzas para os cofres do estado resultantes das acções de fiscalização e de multas, bem como de emissões de passaportes e vistos de trabalho.

    O oficial do SME disse que no ano de 2012 pretende prosseguir os esforços para o combate a imigração ilegal exercendo maior controlo na entrada, permanência e saída de cidadãos estrangeiros e não só.

    Para tal assegurou que o orgão vai “melhorar a organização interna com vista o aperfeiçoamento dos níveis de produção dos serviços
    prestados ao público e previlegiar a coordenação entre os órgãos intervenientes para se evitar a acumulação de actos”.

    Fez ainda menção de exortar que o ano de 2012 será também de trabalho no combate e saneamento das más condutas no seio do efectivo, com vista resgatar a dignidade e prestígio do SME.

    Fonte: Angop

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Analistas avaliam preço do petróleo após ataque do Irão a Israel

    Os futuros do petróleo quase não foram afetados pelo ataque sem precedentes do Irão a Israel, com os traders...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema