Sexta-feira, Abril 19, 2024
15.6 C
Lisboa
More

    Sindicato denuncia pressão das autoridades sobre enfermeiros em greve em Luanda

    O secretário geral do Sindicato dos Técnicos de Enfermagem de Luanda denunciou nesta segunda-feira, 20, que profissionais, que entraram em greve interpolada estão a ser ameaçados e obrigados a retomar o trabalho por parte de responsáveis de alguns hospitais e centros de saúde.

    Apesar dessa pressão, a greve tem uma adesão de 85 por cento, segundo a organização.

    Afonso Kileba advertiu que o sindicato poderá ordenar a retirada dos piquetes de greve nesses centros se tais atitudes persistirem.

    “O director de Repartição do Município do Cazenga e a directora clínica do Centro de Saúde ´Bondo Chapéu´ estão a coagir os profissionais”, acusou Kileba

    Os enfermeiros e técnicos de saúde da província de Luanda consumaram hoje a paralisação das suas actividades em protesto contra o incumprimento das suas reivindicações por parte do Governo de Luanda, depois de sucessivos adiamentos, a pedido da entidade patronal.

    Kileba anunciou que o Governo da província de Luanda e o Sindicato voltam a reunir-se amanhã, 21, para tentar chegar a um entendimento quanto à suspensão da greve, que decorre em todas as unidades sanitárias da capital angolana.

    Negociações e promessas

    O sindicalista também revelou que as duas partes estiveram reunidas no fim-de-semana, a pedido da governadora provincial, Ana Paula de Carvalho, num esforço que visou evitar a paralisação, mas sustentou que a comissão negociadora dos enfermeiros não assumiu qualquer compromisso para uma nova moratória.

    O sindicalista disse que o encontro de terça-feira pode ser decisivo quanto à continuação ou à suspensão da greve.

    A governadora Ana Paula de Carvalho disse, entretanto, que as reivindicações da classe já estão ser satisfeitas pelo que a paralisação já não tem razão de ser.

    “Muitos aspectos já estão em curso”, assegurou.

    As reivindicações

    O caderno reivindicativo dos enfermeiros de Luanda é composto por 14 pontos, entre eles se destacam aumentos salariais, a revisão dos índices salariais, a aprovação do subsídio de horas acrescidas extraordinárias, alimentação, transporte e segurança nas unidades sanitárias e concurso público na ascensão de categorias.

    A 18 de Novembro, o sindicato tinha anunciado o início de uma greve interpolada a partir do dia 22 daquele mês para pressionar o Governo a dar resposta às reivindicações dos enfermeiros, entre elas a abertura de concurso público para actualização das categorias e a criação de condições para segurança do local de trabalho devido a um aumento de casos de agressões contra os enfermeiros

    Dias depois, o sindicato suspendeu a greve ante a promessa do Governo em responder às suas exigências, o que não aconteceu.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    FMI altera regras para acelerar acordos de dívida com países em desenvolvimento e evitar atrasos causados pela China

    O conselho executivo do Fundo Monetário Internacional apoiou uma mudança importante para dar-lhe mais liberdade para apoiar países em...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema