Sexta-feira, Julho 19, 2024
29.9 C
Lisboa
More

    Será que a OPEP+ conseguirá controlar a produção petrolífera dos seus membros?

    A OPEP+ parece ter motivos pata festejar, já que os preços do petróleo Brent mantêm-se acima de US$ 85 por barril.

    Mas o aumento mais recente no preço do petróleo não é graças aos membros da OPEP+ que falharam continuamente em cumprir com seus cortes de produção. O rali de preços foi o resultado de sinais de forte demanda e preocupações com o fornecimento durante a temporada de furacões.

    A superprodução em alguns membros da OPEP+ — principalmente Iraque, Cazaquistão e Rússia — continua sendo um problema para a aliança, que tem planos provisórios para começar a aliviar parte dos cortes voluntários no quarto trimestre deste ano, se as condições de mercado permitirem.

    O maior produtor e líder de fato da OPEP, Arábia Saudita, busca liderar pelo exemplo e continua a cumprir a sua promessa de bombear 9 milhões de barris por dia (bpd) de petróleo bruto. Mas outros produtores da OPEP+, incluindo o segundo maior da OPEP, o Iraque, não cumpriram os cortes atuais, apesar de prometerem continuamente que mostrariam mais disciplina no futuro.

    A OPEP deu aos incumpridores até setembro de 2025 para compensar a sua superprodução nos últimos meses. Não houve nenhum sinal de que o Iraque e o Cazaquistão conseguiram reduzir a sua respetiva produção para as quotas atribuídas, muito menos compensar a superprodução anterior.

    A falta de conformidade em alguns membros da OPEP+ sinaliza que a luta de anos do grupo para controlar os incumpridores ainda não acabou. Também envia um sinal pessimista ao mercado de petróleo – alguns dos cortes de produção estão apenas no papel porque vários produtores não estão a cumprir com os cortes acordados no seio da organização.

    A julgar pelos dados de produção mais recentes da OPEP e pelas pesquisas da Reuters e da Bloomberg, nem o Iraque nem o Cazaquistão conseguiram reduzir a produção aos níveis prometidos.

    A pesquisa mensal da Reuters mostrou esta semana que a produção de petróleo da OPEP aumentou em junho pelo segundo mês consecutivo, devido à maior produção da Nigéria e do Irão.

    A Rússia também prometeu atingir a sua meta de produção de petróleo em junho, após exceder em maio a meta de produção no acordo da OPEP+.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Donald Trump provoca polêmica sobre Taiwan

    Donald Trump defenderá Taiwan no caso de uma invasão da China se vencer as eleições de novembro nos Estados...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema