Quarta-feira, Abril 17, 2024
23.2 C
Lisboa
More

    Putin elogia unidade nacional do país no discurso sobre o estado da nação

    O presidente da Rússia dirigiu-se ao país numa altura em que vive dois anos de uma guerra dispendiosa.

    O presidente Vladimir Putin utilizou o seu discurso sobre o estado da nação para saudar a unidade nacional russa, mesmo quando os combates na Ucrânia estão a decorrer – pouco tempo antes de uma eleição que ele tem quase a certeza que vai ganhar.

    Dirigindo-se a uma audiência de legisladores e altos funcionários num discurso transmitido em direto para todo o país, Putin disse que a Rússia estava a “defender a sua soberania e segurança e a proteger os nossos compatriotas” na Ucrânia, e insistiu que a chamada “operação militar especial” contava com o apoio da maioria dos cidadãos russos.

    Putin saudou os soldados russos e homenageou os mortos em combate com um minuto de silêncio.

    Os seus comentários surgem numa altura em que novas sondagens mostram que o apoio dos russos à guerra na Ucrânia está a desmoronar-se. Segundo estimativas internacionais, o país já perdeu mais de 400 000 soldados desde que invadiu o país vizinho, em fevereiro de 2022, e está em vias de atingir a marca de meio milhão até ao final do ano.

    Putin também reiterou que quaisquer “ameaças” ocidentais contra a Rússia teriam consequências catastróficas – uma clara referência à capacidade de armas nucleares da Rússia.

    “Também temos armas que podem atingir alvos no seu território”, disse Putin, “lembrando-se do que aconteceu àqueles que enviaram as suas forças para o nosso país. Agora, as consequências para os intervencionistas serão muito mais trágicas”.

    Putin, 71 anos, concorre como candidato independente às eleições presidenciais de 15 a 17 de março, às quais foram vedadas as hipóteses de participação de opositores de peso. O seu governo depende de um controlo apertado do sistema político russo.

    Críticos proeminentes que poderiam desafiá-lo foram presos ou estão a viver no estrangeiro, enquanto a maioria dos meios de comunicação independentes foram proibidos, o que significa que a reeleição de Putin está praticamente assegurada. Putin enfrenta uma oposição simbólica de três outros candidatos nomeados por partidos amigos do Kremlin representados no parlamento.

    O líder da oposição mais conhecido da Rússia, Alexei Navalny, cuja tentativa de concorrer contra Putin em 2018 foi rejeitada, morreu subitamente numa colónia prisional do Ártico no início deste mês, enquanto cumpria uma sentença de 19 anos por acusações de extremismo. O funeral de Navalny está marcado para sexta-feira.

    Putin tem afirmado repetidamente que enviou tropas para a Ucrânia em fevereiro de 2022 para proteger os interesses russos e impedir que a Ucrânia represente uma grande ameaça à segurança da Rússia ao aderir à NATO. Kiev e os seus aliados denunciaram o envio das tropas como um ato de agressão não provocado.

    O líder russo manifestou repetidamente o desejo de negociar o fim dos combates, mas avisou que a Rússia manterá os seus ganhos.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Relação diz “que não há qualquer indício” de que António Costa tenha falado com Lacerda Machado sobre Sines

    O Tribunal da Relação de Lisboa não encontrou nos autos da investigação da Operação Influencer, que resultou na demissão...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema