Quinta-feira, Maio 30, 2024
18 C
Lisboa
More

    Projecto Okavango/Zambeze retratado em obra científica

    O desenvolvimento da Área Transfronteiriça de Conservação do Okavango/Zambeze (ATFC-KAZA) está retratado numa obra científica lançada esta quarta-feira, em Luanda, da autoria da professora doutora Amélia Carlos Cazalma.

    Intitulado “O contributo do desenvolvimento sustentável do turismo nas áreas transfronteiriças de conservação, para a inclusão das comunidades e promoção da paz”, o livro, resultante da tese de doutoramento da académica angolana, tem como objectivo analisar o formato de organização e gestão da ATFC-KAZA dos cinco países que constituem esta zona (Angola, Zâmbia, Zimbabwe, Botswana e Namíbia).

    Segundo Amélia Cazalma, a temática da obra científica, com 689 páginas, serve de base para a promoção da união, inclusão e da paz entre os povos, através do turismo que se constitui numa ferramenta para o desenvolvimento de qualquer país.

    “O crescimento de um determinado país depende, essencialmente, do nível de desenvolvimento do sector da hotelaria e turismo, por ser a área que impulsiona, em simultâneo, o crescimento de outros sectores da vida sócio-económica do país”, destacou.

    De acordo com a académica, a ATFC-KAZA constitui-se numa amostra das 229 áreas transfronteiriças registadas a nível mundial, sendo a segunda maior zona de conservação do mundo, com cerca de 520 mil quilómetros quadrados.

    A maior área transfronteiriça está situada entre os Estados Unidos da América (EUA) e o Canada, numa extensão territorial de mais de um milhão de quilómetros quadrados.

    Por isso, Amélia Cazalma considera o projecto KAZA como exemplo para o mundo, caso se desenvolva as comunidades circunvizinhas das respectivas áreas transfronteiriças, reduzindo a fome e a pobreza dos povos nestas regiões.

    Para a docente universitária, que falava à imprensa, no final do lançamento do livro, a obra resulta de um trabalho aturado de pesquisa, que mostra a realidade constatada, representando o contributo que deve ser dado para o desenvolvimento da hotelaria e turismo, particularmente, em Angola.

    Na ocasião, referiu que, desde 2016 que defendeu a tese de doutoramento, somente hoje foi possível lançar o livro, devido às limitações de meios logísticos e técnicos, sendo o acto da apresentação liderado pela Associação dos Hotéis e Resort de Angola (AHRA), para além de outras instituições que apoiaram directa e indirectamente a publicação da obra.

    O acto de lançamento do livro, que está a ser comercializado a 35 mil kwanzas, foi testemunhado por académicos, estudantes, governantes, entidades religiosas, entre outras individualidades.

    Entre as qualificações, a professora doutora Amélia Carlos Cazalma é PhD em Ciências da Educação pela Universidade de Granada (Espanha), PhD em Turismo, Lazer e Cultura Coimbra – Portugal). Actualmente, a docente e investigadora angolana da Universidade Metodista de Angola (UMA) está a preparar a terceira tese de doutoramento em Medicina Integrativa, numa das academias da África do Sul.

    Projecto KAZA

    Este projecto (ATFC-KAZA) abrange uma zona aproximada de 520 mil quilómetros quadrados. Deste número Angola detém a segunda maior parcela com 90 mil quilómetros quadrados, superada pela Zâmbia, com 97 mil, enquanto os restantes 98 mil quilómetros pertencem ao Zimbabwe, Botswana e Namíbia – este último com a menor parcela territorial.

    Em Angola, a ATFC-KAZA está situada na província do Cuando Cubango, abrangendo os municípios do Cuito Cuanavale, Dirico, Mavinga e Rivungo, onde estão localizados os parques nacionais de Mavinga e Luengue-Luiana.

    A ATFC-KAZA tem como objectivos impulsionar a criação de uma colaboração transnacional, a cooperação entre os Estados- membros da SADC, promover alianças na gestão de recursos biológicos e culturais, encorajar a cooperação social e económica.

    Essa área inclui, do lado angolano, os parques nacionais de Luengue-Luiana e Mavinga, que se interligam com várias atracções turísticas dos outros países integrantes, como as quedas de Victória Falls (Zimbabwe), Delta do Okavango (Botswana), parque do Bwabwata (Namíbia) e parque do Kafue na Zâmbia.

    O programa é o maior destino eco-turístico a nível mundial, ligando 36 áreas de conservação dos cinco países, tem a maior reserva de água doce do universo, a maior população contígua de elefante africano, mais de 200 mil, mais de 600 espécies de aves, 128 de répteis, 50 de anfíbios e diversos tipos de invertebrados, bem como várias tipologias de animais em vias de extinção. QCB/PPA

    Publicidade

    spot_img
    FonteANGOP

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    A voz da África precisa de ser ouvida, afirmou o Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento

    O Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento, Dr. Akinwumi Adesina, disse que o mundo está a mudar e que...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema