Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024
16.9 C
Lisboa
More

    Presidente das Filipinas culpa militantes estrangeiros pelo atentado que matou quatro fiéis cristãos

    O Presidente das Filipinas culpou “terroristas estrangeiros” pela explosão de uma bomba que matou quatro pessoas no domingo, feriu dezenas de outros fiéis católicos no sul do país e provocou um alarme de segurança, inclusive na capital, Manila, onde as forças do Estado foram colocadas em alerta.

    A suspeita de bomba, que a polícia disse ter sido feita a partir de uma bala de morteiro, explodiu e atingiu estudantes e professores que assistiam a uma missa num ginásio da Universidade Estatal de Mindanao, no sul da cidade de Marawi, disse Taha Mandangan, o chefe de segurança do campus estatal, à The Associated Press por telefone.

    Dezenas de estudantes e professores saíram a correr do ginásio e os feridos foram levados para os hospitais.

    O comandante militar regional, major-general Gabriel Viray III, disse que quatro pessoas foram mortas pela explosão, incluindo três mulheres, e 50 outras foram levadas para dois hospitais para tratamento.

    Seis dos feridos estavam a lutar pelas suas vidas num hospital, disse o governador Mamintal Adiong Jr. da província islâmica de Lanao del Sur, que tem Marawi como capital.

    “Condeno com a maior veemência possível os actos insensatos e hediondos perpetrados por terroristas estrangeiros na Universidade Estatal de Mindanau”, afirmou o Presidente Ferdinand Marcos Jr. numa declaração. “Os extremistas que exercem violência contra os inocentes serão sempre considerados inimigos da nossa sociedade”.

    Marcos não explicou por que razão culpou imediatamente militantes estrangeiros pelo atentado de alto nível. O Secretário da Defesa, Gilberto Teodoro Jr., disse mais tarde numa conferência de imprensa, sem explicar, que havia uma forte indicação de um “elemento estrangeiro” no atentado.

    O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general Romeo Brawner Jr., disse que o atentado a bomba poderia ser uma retaliação de militantes muçulmanos por uma série de reveses em batalhas.

    “Estamos a analisar os possíveis ângulos”, disse Brawner. “Pode ser um ataque de retaliação”.

    Ele citou a morte de 11 supostos militantes islâmicos numa ofensiva militar apoiada por ataques aéreos e fogo de artilharia na sexta-feira, perto da cidade de Datu Hoffer, no sul da província de Maguindanao.

    Publicidade

    spot_img
    FonteVOA

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Quem é quem no conflito na RDC

    As exuberantes florestas nas zonas fronteiriças do leste da República Democrática do Congo (RDC) têm servido como base operacional...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema