Terça-feira, Maio 21, 2024
14.8 C
Lisboa
More

    Portugal: PSD retira nome de Aguiar-Branco para presidente do Parlamento

    Miranda Sarmento justificou a decisão com a “coligação negativa de PS e Chega”. O ainda líder parlamentar dos sociais-democratas desafiou os dois partidos a apresentarem um candidato. Aguiar-Branco teve 89 votos a favor, 134 brancos e sete nulos, não conseguindo o número mínimo de 116 deputados.

    O Partido Social-Democrata retirou a nome de José Pedro Aguiar-Branco para a presidência da Assembleia da República.

    Joaquim Miranda Sarmento, ainda líder parlamentar dos sociais-democratas, diz que recebu indicações de que o PS e o Chega não mudam o seu sentido de voto e critica o que diz ser “a primeira coligação negativa da nova legislatura”.

    Sessão plenária foi novamente interrompida por dez minutos para que seja apresentado um novo nome.

    Numa votação secreta, o ex-ministro da Justiça e da Defesa teve 89 votos a favor, 134 brancos e sete nulos, não conseguindo o número mínimo de 116 deputados em 230.

    O chumbo causou surpresa, uma vez que esta segunda-feira o líder do Chega, André Ventura, tinha anunciado um acordo com o PSD para assegurar a eleição de Aguiar-Branco.

    Joaquim Miranda Sarmento, deputado social-democrata, pediu à Mesa do Parlamento um intervalo de 30 minutos, tendo André Ventura também solicitado uma interrupção dos trabalhos.

    O PSD deverá agora indicar um outro nome para liderar o Parlamento.

    André Ventura fala em “bloqueio da AD”

    André Ventura, vinca que continua disponível para chegar a um entendimento com o PSD para eleger o presidente da Assembleia da República, incluindo para voltar a tentar viabilizar o nome de Aguiar-Branco.

    No entanto, o líder do Chega deixa claro que os sociais-democratas “têm de escolher as companhias” e clarificar com querem trabalhar.

    “Durante a manhã toda, dirigentes e responsáveis do PSD disseram que nao havia acordo nenhum com o Chega. Mentira. Não podem estar a humilhar um milhão de portugueses.”, declarou Ventura aos jornalistas durante a interrupção dos trabalhos.

    “Apesar de ter sido desrespeitado, dei indicação pública para um voto favorável”, acrescentou.

    Ventura insistiu que a “AD tem de decidir se quer governar com o PS ou fazer acordos à direita”.

    “PSD tem de fazer escolhas e esta é a prova de que governar em cima do muro não funciona”.

    André Ventura, que chefia a terceira força política em Portugal, reiterou a ideia do fim do bipartidarismo já expressa no discurso da noite eleitoral.

    “O tempo em que dois partidos podiam decidir o futuro do país acabou no dia 10 de março.”, frisou.

    O deputado do Chega, Pedro Frazão, fez uma publicação na rede social X em jeito de provocação, aludindo à célebre expressão “não é não” de Montenegro quando questionado sobre se faria acordos com o Chega.

    “Votar Chega é votar PS”

    A Iniciativa Liberal afirma que o PS e o Chega se uniram contra a eleição de Aguiar-Branco para a presidência da Assembleia da República.

    “Votar Chega é votar PS”, escreveu o partido na rede social X.

    Rui Rocha, presidente da Iniciativa Liberal, reitera que o Chega se aliou ao Partido Socialista para boicotar a eleição de Aguiar-Branco e sublinha que o partido liderado por André Ventura não é confiável.

    “Fica dado o sinal de que há partidos que não são confiáveis e estão aqui para criar chicana política permanente”.

    O deputado da Iniciativa Liberal, Bernardo Blanco, afirma qu já tinha alertado na semana passada para “uma maioria socialista e chegana.”.

    “Cá está ela”, referiu no X.

    O também vice-presidente dos liberais pediu uma reflexão a quem optou por mostrar o seu desagrado através de um voto na extrema-direita.

    “A quem votou Chega pelo protesto, peço que comecem a refletir pelo País.”, escreveu.

    À esquerda, o Livre criticou a opção do PSD de ter procurado um acordo com o Chega para garantir a eleição do presidente do Parlamento.

    “Quando se estende a mão à extrema-direita, a extrema-direita arranca o braço”, afirmou Paulo Muacho, um dos quatro parlamentares eleitos pelo Livre.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Presidente da República recebe PCA da TotalEnergies, enquanto produção de petróleo em Angola cai para 1,083 milhões bd

    O Presidente da República, João Lourenço, recebeu, esta segunda-feira, em Luanda, o Presidente do Conselho de Administração (PCA) da...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema