Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024
16.9 C
Lisboa
More

    O Banco Africano de Desenvolvimento reviu em baixa as suas previsões macroeconómicas para África em 2023 e 2024

    O crescimento económico de África irá abrandar este ano e recuperar ligeiramente em 2024, disse o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) na quarta-feira, ao reduzir as suas previsões do PIB para o continente em meio à instabilidade política, ao fraco crescimento global e altas taxas de juros.

    O crescimento real do PIB deverá cair para 3,4% este ano, contra 4% em 2022, antes de subir para 3,8% em 2024, afirmou o BAD num relatório. Em maio, O BAD previu que a economia cresceria 4% em 2023 e 4,3% em 2024, depois de crescer 3,8% em 2022.

    Os “efeitos cicatrizantes de longo prazo” , o impacto da pandemia da COVID-19, combinado com a invasão da Ucrânia pela Rússia, que fez disparar os preços dos alimentos e da energia em 2022, atrasou a recuperação económica inicialmente forte de África após a pandemia, afirmou o banco.

    “Estes fatores foram agravados por bolsas de instabilidade política em todo o continente, fraca procura de exportações devido ao morno crescimento global, aperto da política monetária e aumento associado do custo dos empréstimos”, acrescentou o BAD.

    A maioria dos países africanos foram excluídos dos mercados de dívida internacionais devido a taxas de juro proibitivamente elevadas desde o início de 2022, com a Zâmbia e o Gana a entrarem em incumprimento e a Etiópia, Quénia e a Nigéria com dificuldades em restruturar as suas dívidas externas.

    O maior corte do BAD na previsão de crescimento para 2023 foi para a África Central, onde houve um golpe de Estado no Gabão e um conflito em curso no leste da República Democrática do Congo, para 4,1%, contra 4,9% em Maio.

    A previsão de crescimento da África Oriental foi reduzida em 0,7% para 3,4%, em meio à guerra civil no Sudão e com o Quênia sob pressão para pagar ou refinanciar um título de US$ 2 bilhões com vencimento em junho de 2024. A previsão de crescimento do Norte da África também foi reduzida em 0,7%.

    A África Austral deverá registar o crescimento mais baixo do continente em 2023, de 1,6%, à medida que os cortes de energia contínuos restringem a produção na maior economia da região, a África do Sul e que o fraco desempenho do mercado petrolífero afeta a economia de Angola.

    Espera-se que os países que não exportam matérias-primas registem uma taxa de crescimento económico mais elevada do que a dos exportadores de matérias-primas.

    Por Editor Económico
    Portal de Angola

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Quem é quem no conflito na RDC

    As exuberantes florestas nas zonas fronteiriças do leste da República Democrática do Congo (RDC) têm servido como base operacional...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema