Sábado, Maio 18, 2024
16.3 C
Lisboa
More

    Ministro realça importância da formação dos investigadores e instrutores processuais

    O ministro do Interior, Eugénio Laborinho, defendeu, esta quinta-feira (18), em Luanda, a importância da formação contínua dos investigadores e instrutores processuais, para que possam ser cada vez mais competentes ao interpretar as leis.

    O ministro discursava na abertura da Conferência sobre Direitos Humanos em sede de Investigação, Desafios e Perspectivas, dirigida aos efectivos do Serviço de Investigação Criminal (SIC), que decorre até dia 19 de Abril.

    Frisou que as acções formativas profissionalizam os agentes e dão maiores garantias de que as detenções, as prisões e os julgamentos sejam justos.

    “Todo aquele que intervém na privação da liberdade deve saber o que fazer, como fazer, quando fazer e por que fazer”, salientou.

    Para o ministro, essas acções, de carácter formativo, vão atender também as ansiedades dos cidadãos em viver numa sociedade em que o sentimento de segurança seja facto irrefutável, permitindo o normal funcionamento das instituições e e a livre circulação de pessoas e bens.

    Para o efeito, continuou, o Ministério do Interior tem estado a gizar e materializar um conjunto de acções formativas nas mais variáveis instituições do ensino do país e no estrangeiro.

    No quadro destes esforços, deu a conhecer que a instituição tem vindo a sublinhar a inclusão dos conteúdos específicos voltados aos direitos humanos, ética e deontologia profissional, atendimento ao público e outras matérias para tornar o agente da autoridade verdadeiramente comprometido com o respeito às leis.

    Na mesma senda, a secretária de Estado para os Direitos Humanos, Ana Celeste Januário, destacou a importância da formação dos agentes sobre a matéria pelo facto de permitir maior dignidade à pessoa humana e garantia da ordem e tranquilidade pública.

    Ana Celeste destacou que os direitos humanos devem estar presente em todos os sectores, na medida que o fim último do trabalho das autoridades é a protecção e garantia da dignidade da pessoa humana.

    No evento, foi debatido diversos tema como “Desafios Contemporâneos da Investigação Criminal, uma perspectiva académica”, “ O respeito pelos direitos humanos como marco da investigação criminal”, “ A actividade de investigação criminal e as suas implicações na saúde mental”, bem como a “Responsabilidade da sociedade civil na partilha de informação sobre segurança pública e direitos humanos”.

    A Conferência tem como objectivos identificar os métodos adequados para promover os direitos humanos, tendo em atenção a realidade da actuação do SIC, integrar a protecção dos direitos humanos neste órgão e avaliação do seu pessoal, bem como reforçar os mecanismos de coordenação. AMC/SC

    Publicidade

    spot_img
    FonteANGOP

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    TSE suspende julgamento de ações que pedem cassação de Moro por atos na pré-campanha em 2022; caso será retomado na 3ª

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu nesta quinta-feira o julgamento das ações que pedem a cassação do senador Sergio...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema