Domingo, Abril 21, 2024
17.5 C
Lisboa
More

    Milhares de refugiados voltam a Darfur

    Violência na conturbada província sudanesa diminuiu bastante nos útlimos tempos e o número de deslocados e refugiados baixou

    A aparente calma na região de Darfur, oeste do Sudão, encoraja milhares de deslocados internos e refugiados a regressarem àquela província sudanesa, indicou esta semana a Missão da União Africana e das Nações Unidas em Darfur (MINUAD).
    O chefe da missão, Ibrahim Gambari, afirmou que a violência na conturbada província sudanesa diminuiu cerca de 70 por cento, “graças à actividade da missão em prol de um processo político para uma resolução pacífica na região”.
    A Missão conjunta da UA e da ONU revelou igualmente que o número de deslocados e de refugiados em Darfur baixou recentemente  de 2,8 milhões para um 1,8 milhões nos três Estados da região.
    O comissário sudanês para os refugiados disse na terça-feira que, desde o início de 2011, mais de 10 mil refugiados e deslocados regressaram ao Estado de Darfur Ocidental, perto da fronteira com o Chade.
    “Pela primeira vez, deslocados e refugiados afectados por oito anos de conflito regressam às terras de origem, em vez de fugirem das suas aldeias” disse Mohamed Ahamed Al Aghbash. Os refugiados, acrescentou, regressam a pé a Darfur, palco de violentos confrontos desde Fevereiro de 2003 e para os quais ainda não se conseguiu encontrar uma solução política global.
    O comissário frisou que o regresso é particularmente visível nas aldeias de Nauru, a 40 quilómetros de Genaina e na aldeia de Al Khaimai, a 30 quilómetros da mesma cidade.
    “Pensamos que a melhor via é encontrar uma solução para os problemas dos deslocados e dos refugiados, para que possam regressar voluntariamente às suas terras de origem. É o que a comissão deve fazer”, afirmou o comissário.

    Observadores políticos consideram que a aproximação e cooperação estreita entre o Sudão e o Chade, depois de anos de afastamento político entre os dois países,  contribuíram para o regresso da calma naquela  região africana.

    Fim do diferendo 

    Cartum prometeu pôr fim ao diferendo político com Juba.
    O ministro dos Negócios Estrangeiros do Sudão, Ali Ahmed Karti, afirmou em Nova Iorque que o Sudão se comprometeu “a resolver todos os conflitos ligados ao seu acordo de paz com o vizinho Sudão do Sul, incluindo a questão da delimitação da sua fronteira e a divisão dos rendimentos do petróleo”.
    Ao discursar na Assembleia-Geral das Nações Unidas, o dirigente  sudanês disse que Cartum  aceitou a decisão do Sudão do Sul de se separar do Sudão, em Julho de 2011, “porque queria a estabilidade e uma paz duradoura” e que Cartum “concede prioridade à resolução do conflito na província de Darfur”.

     

    Fonte: Jornal de Angola

    Fotografia: Afp

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Ataque aéreo causa pelo menos nove mortos em Rafah

    Nove pessoas morreram em ataque aéreo em Rafah, seis delas crianças. O exército israelita anunciou que matou dez combatentes...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema