Sábado, Maio 18, 2024
16.3 C
Lisboa
More

    Gana não chega a acordo sobre a dívida com detentores privados de títulos internacionais

    Gana não conseguiu garantir um acordo de dívida viável com dois grupos de detentores de títulos no seu esforço para reestruturar 13 mil milhões de dólares em títulos internacionais, disse o governo na segunda-feira.

    As conversações formais foram suspensas por enquanto, depois do Fundo Monetário Internacional ter indicado que o acordo não se adequaria aos seus parâmetros de sustentabilidade da dívida, afirmou o governo num comunicado.

    “Vamos reagrupar-nos para continuar as negociações até chegarmos a um acordo que seja consistente com as metas de sustentabilidade da dívida do FMI”, disse o gabinete do ministro das Finanças, Mohammed Amin Adam.

    Ele disse que Gana havia chegado a um “acordo provisório” com os detentores de títulos, mas que precisava ser ajustado para cumprir as metas do FMI.

    O Gana tem estado em conversações formais com dois grupos de detentores de obrigações desde 16 de março – um grupo de gestores de ativos e fundos de cobertura ocidentais e outro que inclui bancos regionais africanos.

    Em Dezembro de 2022, o Gana deixou de pagar a maior parte da sua dívida externa de 30 mil milhões de dólares ao entrar em crise económica.

    A economia do segundo maior produtor mundial de cacau começou desde então a recuperar, com um crescimento de 2,9% em 2023, excedendo a previsão de 2,3% do FMI de Janeiro.

    Os detentores de títulos regionais acreditam que um acordo é possível antes do final do ano, dado que a economia ganense está a ter um desempenho melhor do que o assumido na análise original do FMI, disse à Reuters Samuel Sule, CEO da Renaissance Capital Africa e consultor financeiro do grupo.

    O FMI aprovou um programa de empréstimos de três anos no valor de 3 mil milhões de dólares para o Gana em Maio de 2023, dependendo da implementação de reformas pelo governo e da conclusão de uma reestruturação da dívida que o fundo considera sustentável.

    O Gana – juntamente com a Zâmbia e a Etiópia – está a reestruturar a sua dívida no âmbito do Quadro Comum do G20, um processo criado durante a pandemia da COVID-19 para acelerar a revisão da dívida.

    No entanto, o progresso tem sido lento, travando a recuperação económica dos países e o acesso aos tão necessários empréstimos, ajuda e investimento estrangeiros.

    O Gana pretende cortar 10,5 mil milhões de dólares dos pagamentos da sua dívida externa e dos custos de juros devidos entre 2023 e 2026. Chegou a um acordo de princípio em Janeiro para retrabalhar 5,4 mil milhões de dólares em empréstimos com credores oficiais. Qualquer acordo com os detentores de obrigações terá de oferecer um alívio da dívida comparável.

    Publicidade

    spot_img
    FonteReuters

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    TSE suspende julgamento de ações que pedem cassação de Moro por atos na pré-campanha em 2022; caso será retomado na 3ª

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu nesta quinta-feira o julgamento das ações que pedem a cassação do senador Sergio...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema