Sábado, Maio 25, 2024
13.6 C
Lisboa
More

    FMI vê mais riscos no cumprimento das metas orçamentais em Portugal

    Portugal está a fazer progressos no programa de ajustamento que está acordado com a troika, segundo um porta-voz do Fundo Monetário Internacional. Mas há um caminho cada vez mais difícil. Em relação à Grécia, a entidade dirigida por Christine Lagarde está “aberta” a ideias para alcançar as metas.
    O Fundo Monetário Internacional (FMI) acredita que Portugal tem riscos negativos pela frente. Riscos que estão a aumentar. O que poderá colocar em causa o cumprimento das metas orçamentais acordadas com Bruxelas.

    Apesar de admitir que o programa de ajustamento acordado está a ser feito com progressos, o porta-voz da entidade internacional Gerry Rice indicou hoje, em declarações em Washington, que Portugal enfrenta riscos crescentes, de acordo com a agência Bloomberg.

    O FMI, que faz parte da troika (onde está juntamente com o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia e que analisa o sucesso do programa de ajustamento) considera que Portugal poderá ter maiores dificuldades em cumprir as suas metas: um défice orçamental de 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012 e de 3% no ano seguinte. Contudo, até agora, Portugal tem feito progressos, na opinião de Rice.

    Estas foram as declarações dadas por Rice relativamente a Portugal, dias depois de o Eurogrupo, que reúne os ministros das Finanças da Zona Euro, ter acordado a alargar os prazos para as metas orçamentais em um ano para a Espanha (que só terá de alcançar um défice abaixo da fasquia dos 3% em 2014 e não em 2013, como previsto até aqui).

    Para Portugal, o governo, apesar de admitir riscos, rejeita a necessidade de pedir mais tempo, como definiu Vítor Gaspar na terça-feira passada. O Banco de Portugal também considera que o ajustamento orçamental é inadiável . Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu (BCE), afirmou que seria um retrocesso essa extensão dos prazos em Portugal, embora continue a dar uma nota positiva ao progresso feito pelo país. Os mercados, como noticia hoje o Negócios, até veriam com “bons olhos” essa flexibilização.

    De acordo com a Bloomberg, Gerry Rice falou, também hoje, sobre a Grécia, dizendo que, é prematuro definir que medidas serão colocadas em acção no país para que as metas definidas sejam atingidas. Ainda assim, o FMI está aberta a discussão sobre novas melhores ideias para as alcançar. A equipa de missão da troika vai regressar a Atenas a 24 de Julho, de modo a discutir o resgate.

    FONTE: Jornal de Negócios

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Como é que Itália vê a abertura de Ursula von der Leyen para cooperar com Meloni?

    Meios de comunicação social italianos descrevem a declaração da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, como ousada,...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema