Sábado, Março 2, 2024
13.7 C
Lisboa
More

    Estaline pode ter envenenado Lenine

    O líder russo Vladimir Lenine pode ter sido envenenado por  Estaline, segundo a teoria do historiador Lev Lurie. A ideia é corroborada pelo neurologista Harry Vinters que considera, no entanto, que apenas o stress associado à genética familiar seriam suficientes para provocar a sua morte aos 53 anos.

    O neurologista da UCLA reviu, com o historiador russo, os registos sobre Lenine, para preparar uma intervenção na conferência sobre a morte de vultos históricos, que hoje começa na Escola de Medicina da Universidade de Maryland, onde também vão estar em foco as mortes de Cristóvão Colombo, Simon Bolivar e Abraham Lincoln.

    Lenine,  morreu 1924, após ter sofrido vários acidentes vasculares cerebrais (AVC), e as causas da sua morte nunca foram esclarecidas.

    Lenine teve convulsões fortíssimas

    Harry Vinters diz que os testes que poderiam ter detetado o eventual envenenamento não foram efectuados na autópsia. Os registos dão conta que teve convulsões fortíssimas, o que não é frequente em alguém que tenha sofrido um AVC, acrescenta o neurologista.

    A autópsia detetou que os vasos sanguíneos do seu cérebro se encontravam extremamente enrijecidos, dados difíceis de compreender, considera o médico Philip Mackowiak, organizador o evento anual da Universidade de Maryland.

    “Em primeiro lugar, ele era muito novo, em segundo, não possuía nenhum dos maiores fatores de risco”, referiu.

    Não fumava, e não deixava mesmo que fumassem ao pé dele, não era diabético nem tinha peso excessivo e autópsia não encontrou vestígios de tensão alta.

    Na altura da sua morte, circulou a ideia de que teria sido devida à sífilis. Lenine, recebeu, de facto, tratamento para a doença que pode provocar AVC, mas nada nos seus sintomas ou nos resultados da autópsia indica que tenha sido esse o caso, diz Harry Vinters.

    Envenamento era o método favorito de Estaline

    O neurologista dá mais relevância a factores como a genética familiar associada à tensão e stress a que estava submetido – factores de risco para AVC – nomeadamente porque “as pessoas estavam sempre a tentar assassiná-lo”.

    O pai de Lenine, morreu também aos 54 anos e ambos poderiam ter uma predisposição para o enrijecimento das artérias.

    O historiador russo Lev Lurie refere que o envenenamento se tornou no método favorito de Estaline para se livrar dos seus opositores e rivais, e acredita na possibilidade de o ter utilizado com Lenine, uma teoria que Vinters considera perfeitamente possível.

    O estado de saúde de Lenine deteriorou-se ao longo dos anos. Em 1921, esqueceu-se do que ia dizer num importante discurso. Um forte AVC deixou um lado do seu corpo paralisado e teve de reaprender a falar e a escrever com a mão esquerda.

    “O engraçado é que o cérebro de Lenine continua preservado em Moscovo, e será possível investigarmos”, comentou Lurie, em alusão ao corpo embalsamado do líder russo, que se encontra no mausoléu da Praça Vermelha.

    Fonte: EXPRESSO

     

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    PGR realça empenho no combate à criminalidade económico-financeira

    O Procurador-Geral da República (PGR), Hélder Pitta Groz, sublinhou esta sexta-feira, em Luanda, que o esforço e empenho da...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema