Domingo, Dezembro 10, 2023
17.1 C
Lisboa
More

    Desacoplar ou diversificar? Yellen diz que laços EUA-China estão em ‘base mais segura’ após a sua visita à China

    A Secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, adotou um tom positivo, mas pragmático, após concluir uma viagem de alto risco político e económico à China, que visava tranquilizar as autoridades chinesas de que os EUA não tencionam travar o seu maior concorrente económico.

    Os comentários de Yellen foram feitos numa conferência de imprensa conjunta que encerrou uma visita de quatro dias a Pequim, que ela descreveu como uma missão para reavivar o relacionamento entre as duas maiores economias. Os atritos entre Washington e Pequim se transformaram numa guerra comercial que viu os dois lados restringirem as exportações críticas de tecnologias avançadas.

    A chefe do Tesouro dos EUA enfatizou os benefícios do comércio com a China e disse que mencionou às autoridades céticas de Pequim que “diversificar” as cadeias de suprimentos em áreas estreitas não era o mesmo que desacoplar. “Isso é algo que estou tentando comunicar e acredito fortemente em mim mesma”, disse Yellen. “Acho que essa mensagem foi recebida.”

    Enquanto esteve na China, Yellen manteve dez horas de conversas que ela descreveu como “diretas, substanciais e produtivas” e disse que aproximou os laços EUA-China para uma “base mais segura”. Metade desse tempo foi gasto com seu homólogo vice-primeiro-ministro He Lifeng, a primeira reunião extensa entre os dois chefes de política económica desde que a nova equipe económica da China foi nomeada. Durante uma reunião mais curta com o primeiro-ministro Li Qiang, ela teve uma troca mais ampla sobre o relacionamento EUA-China.

    Yellen também se reuniu com o ministro das Finanças da China, Liu Kun, e trocou opiniões sobre a situação econômica dos dois países e sobre as respostas aos desafios globais.

    A tarefa de Yellen em Pequim foi complicada. Ela procurou expressar preocupações sobre as políticas económicas chinesas, ao mesmo tempo em que pediu maior cooperação e engajamento entre as duas nações, especialmente sobre os desafios globais, como mudança climática e sobre-endividamento dos países mais pobres.
    Foi o primeiro grande teste de uma política que ela delineou em abril voltada para defender e garantir a segurança nacional dos EUA sem tentar conter a China economicamente.

    Durante a sua viagem, Yellen abordou as práticas “não comerciais” da China e as “ações coercitivas” contra empresas americanas, e alertou as empresas chinesas contra o fornecimento de apoio material para a guerra da Rússia na Ucrânia. A China expressou a sua preocupação com as sanções dos EUA e outras medidas restritivas.

    Apesar desses pontos de pressão, a mensagem geral de Yellen era para ambos os lados administrarem sua rivalidade com um conjunto justo de regras. “O presidente Biden e eu não vemos a relação entre os Estados Unidos e a China sob a perspectiva de um conflito de grandes potências”, disse ela no domingo. “Acreditamos que o mundo é grande o suficiente para que nossos dois países prosperem.”

    Empurrão mais amplo

    A visita de Yellen foi parte de um esforço mais amplo do governo do presidente Joe Biden para consertar as relações com o principal rival geopolítico dos Estados Unidos e abrir mais linhas de comunicação de alto nível.

    Yellen é o segundo membro do gabinete de Biden a visitar a China em três semanas, após a visita do Secretário de Estado, Antony Blinken, em junho. Seus esforços para reduzir o escopo da eliminação de riscos e identificar oportunidades comerciais “sem problemas” contrastavam com o tom mais combativo de Blinken. O principal diplomata dos EUA prometeu em Pequim proteger “nossas tecnologias críticas para que não sejam usadas contra nós”.

    Espera-se que o enviado do clima dos EUA, John Kerry, faça uma visita à China no final deste mês para conversas sobre o aquecimento global, uma área de preocupação mútua em que Pequim e Washington também podem encontrar um terreno mais comum na perspetiva da Conferência das Nações Unidas COP 28 sobre a ação climática em fins de Novembro no Dubai.

    O próximo teste

    O próximo teste do relacionamento pode vir em breve. A equipe de Biden está preparando uma ordem executiva restringindo o investimento externo dos EUA na China, o que pode restringir ainda mais o acesso de Pequim à tecnologia avançada.

    Yellen disse que “nenhuma decisão final” foi tomada sobre essa ação, mas prometeu que quaisquer novas restrições seriam “altamente direcionadas” a alguns setores. “Eu queria acalmar os seus temores de que faríamos algo que teria impactos amplos na economia chinesa”, acrescentou ela, referindo-se aos seus colegas chineses.

    A viagem de Yellen ocorre no momento em que a China busca atrair mais investimentos estrangeiros após anos de controles da Covid e choques regulatórios, além de piorar os laços geopolíticos com o Ocidente.

    Quando a sua viagem terminou no domingo, Yellen deixou claro que o relacionamento poderia continuar a melhorar, dizendo: “Teremos uma comunicação mais frequente e regular e haverá benefícios disso”. Ela acrescentou “A relação entre os Estados Unidos e a República Popular da China é uma das mais importantes de nosso tempo. Como as duas maiores economias do mundo, nossas nações representam coletivamente 40% da economia global. O que fazemos – tanto na esfera bilateral quanto no cenário global mais amplo – molda a vida e os meios de subsistência das pessoas em nossos países e além”.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Milei recebe rei da Espanha e espera Zelensky antes da posse

    O presidente eleito da Argentina, Javier Milei, se reuniu, neste sábado (9), com o rei Felipe VI da Espanha,...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema