Quarta-feira, Abril 17, 2024
23.2 C
Lisboa
More

    Dani Alves considerado culpado de violação de uma mulher numa discoteca em Espanha

    O futebolista brasileiro de 40 anos negou qualquer infração durante o julgamento de três dias que decorreu este mês. O ex-futebolista foi condenado a 4 anos de prisão.

    O antigo jogador de futebol do Barcelona e do Brasil Dani Alves foi considerado culpado por um tribunal espanhol de ter violado uma mulher numa discoteca de Barcelona na madrugada de 31 de dezembro de 2022. Foi condenado a quatro meses e seis meses de prisão.

    Alves, de 40 anos, um dos futebolistas mais condecorados da história do desporto, negou qualquer irregularidade durante um julgamento que decorreu durante três dias este mês. A decisão pode ser objeto de recurso.

    O tribunal de Barcelona considerou que Alves atacou sexualmente a sua vítima numa discoteca de luxo de Barcelona, depois de a ter atraído para uma casa de banho na secção VIP do local. O Ministério Público tinha pedido uma pena de nove anos de prisão para Alves, enquanto os advogados que representavam a sua acusadora queriam 12 anos.

    Os seus advogados de defesa pediram a sua absolvição ou, em caso de condenação, uma pena de um ano e uma indemnização de 50.000 euros para a vítima.

    Alves está na prisão desde que foi detido em 20 de janeiro de 2023. Os seus pedidos de fiança foram recusados porque o tribunal o considerou um risco de fuga. O Brasil não extradita os seus próprios cidadãos quando estes são condenados noutros países.

    A vítima, cuja identidade está a ser protegida e mantida no anonimato, disse aos procuradores estaduais que dançou com Alves e entrou de livre vontade na casa de banho da discoteca, mas que mais tarde, quando quis sair, ele não a deixou. Disse que ele lhe deu uma bofetada, insultou-a e obrigou-a a ter relações sexuais contra a sua vontade.

    Alves começou por negar qualquer contacto sexual com a vítima antes de admitir relações sexuais que disse serem consensuais. Disse que estava a tentar salvar o seu casamento ao não admitir inicialmente o encontro.

    O tribunal considerou que a mulher não tinha consentido, afirmando que havia outras provas para além do testemunho da vítima que provavam que ela tinha sido violada.

    Durante o julgamento, a sua defesa centrou-se na tentativa de demonstrar que Alves estava embriagado quando se encontrou com a mulher.

    O caso Alves foi o primeiro crime sexual de grande repercussão desde que a Espanha reformulou a sua legislação em 2022 para tornar o consentimento, ou a falta dele, central na definição de um crime sexual, em resposta a uma onda de protestos após um caso de violação colectiva durante o festival de corrida de touros de San Fermin em Pamplona, em 2016.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Relação diz “que não há qualquer indício” de que António Costa tenha falado com Lacerda Machado sobre Sines

    O Tribunal da Relação de Lisboa não encontrou nos autos da investigação da Operação Influencer, que resultou na demissão...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema