Domingo, Abril 14, 2024
25.8 C
Lisboa
More

    Comercialização de diamantes rende USD 2 mil milhões

    A comercialização de diamantes, de 2022 até a data, foi de 2 mil milhões de dólares para um volume de cerca de 9.2 milhões de quilates vendidos e exportados.

    Esta informação foi prestada pelo Presidente do Conselho de Administração (PCA) da Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam), Eugénio Bravo da Rosa, que sublinhou ser o maior valor registado até a data, ao nível de comercialização, influenciado essencialmente pela dinâmica do mercado diamantífero internacional.

    Falando aos jornalistas esta terça-feira, em Luanda, à margem de uma visita do Instituto de Gestão de Activos e Participação do Estado (IGAPE), o PCA frisou que, embora “tivéssemos vividos as questões resultantes da guerra na Ucrânia e das sanções impostas à Rússia, houve uma grande procura de diamantes de Angola”.

    Quanto à visita, fez saber que, como empresa do Sector Empresarial Público (SEP), a Sodiam tem o dever de informar o IGAPE, tendo procurado levar ao conhecimento do instituto a actividade do sector, com todos os aspectos inerentes a comercialização e transformações que a empresa tem vindo a sofrer desde 2017.

    Assegurou que as contas da Sodiam, do ponto de vista de resultados financeiros, estão bem, sendo que “os resultados têm sido positivos, desde 2017 até a data. Analisou-se as reservas de auditoria e a Sodiam tem três reservas de auditorias que constituem algum motivo de preocupação, embora venham do período anterior a nossa gestão. Temos estado a trabalhar no sentido de as eliminar”.

    Quanto ao processo de lançamento da Bolsa de Comercialização de Diamantes, assegurou que a Sodiam está a trabalhar com as outras empresas do sector e com o Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás para conclusão do processo.

    Por seu turno, o presidente do Conselho de Administração do Instituto de Gestão de Activos e Participação do Estado (IGAPE), Patrício Vilar, disse tratar-se de uma visita de acompanhamento, que visa aproximar os técnicos do instituto às empresas no sentido de poder solidarizar-se com elas, na solução dos constrangimentos.

    Frisou que a Sodiam está num sector em transformação, sendo necessário salvaguardar todos os requisitos e as exigências que se colocam numa empresa dessa natureza.

    Adiantou que durante o encontro, entre as duas instituições, esteve em abordagem questões relacionadas com o relato financeiro e as reservas que os auditores têm colocado nas contas, sendo que quando os auditores colocam reservas significa que as contas podem ter algumas incertezas.

    “A Sodiam é uma empresa em franca transformação e evolução. Tem produzido leilões internacionais e está numa fase de evolução para uma Bolsa de Diamantes, que será uma realidade nova do ponto de vista tecnológico”, enfatizou.

    Dados divulgados na sexta-feira (27), pelo Gabinete de Estudos do Ministério dos Recursos Minerais Petróleo e Gás, indicavam que as exportações de diamantes em Angola, desde 2022 a data da publicação, renderam 1.95 mil milhões de dólares, fruto da venda de 8.83 milhões de quilates.

    Publicidade

    spot_img
    FonteANGOP

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Haiti já tem Conselho Presidencial, mas ainda não se sabe quem vai liderar o país

    A instituição do Conselho Presidencial pode ser a última esperança para o restabelecimento da ordem no Haiti, onde a...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema