Quinta-feira, Junho 13, 2024
15 C
Lisboa
More

    China critica comportamento “histérico” dos EUA

    O principal diplomata da China acusou neste sábado os Estados Unidos de violarem as normas internacionais com um comportamento “histérico”, enquanto uma briga sobre um suposto balão de espionagem chinês borbulhava em uma conferência de segurança global em Munique.

    Os comentários de Wang Yi minaram ainda mais as perspectivas de uma reunião entre Wang e o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à margem da conferência. Questionado pela Reuters mais tarde se ele se encontraria com Blinken, Wang sorriu e não quis comentar.

    Wang falou no segundo dia da Conferência Anual de Segurança de Munique, que até agora foi dominada pela resposta global à invasão russa da Ucrânia, à medida que a guerra se aproxima de seu segundo ano.

    A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, respondeu mais tarde, dizendo que estava preocupada com o fato de a China ter aprofundado seu relacionamento com a Rússia desde a invasão de 24 de fevereiro e que o apoio chinês à Rússia prejudicaria a ordem internacional baseada em regras.

    A discussão sobre o balão – que sobrevoou os EUA e o Canadá antes de ser derrubado por ordem do presidente norte-americano Joe Biden – afetou as relações já tensas e em um momento em que o Ocidente observa de perto a resposta de Pequim à guerra na Ucrânia.

    “Ter despachado um caça avançado para abater um balão com um míssil, tal comportamento é inacreditável, quase histérico”, disse Wang.

    “Existem tantos balões em todo o mundo, e vários países os têm, então os Estados Unidos vão derrubar todos eles?”, disse ele.

    “Pedimos aos EUA que mostrem sua sinceridade e corrijam seus erros, enfrentem e resolvam este incidente, que prejudicou as relações sino-americanas.”

    A briga com balões levou Blinken a adiar uma visita planejada a Pequim. Essa viagem de 5 a 6 de fevereiro teria sido a primeira de um secretário de Estado dos EUA à China em cinco anos e foi vista por ambos os lados como uma oportunidade para estabilizar os laços.

    De sua parte, Washington espera colocar um “piso” nas relações que atingiram um nível perigoso em agosto, com a reação da China a uma visita a Taiwan da então presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi.

    Blinken está programado para partir de Munique na manhã de domingo. O fracasso dos dois diplomatas em se encontrarem em uma reunião pode ser visto como mais um golpe no relacionamento já tenso.

    PENSANDO COM CALMA

    O Ocidente tem desconfiado da resposta da China à guerra na Ucrânia, com alguns alertas de que uma vitória russa afetaria as ações da China em relação a Taiwan. A China se absteve de condenar a guerra ou chamá-la de “invasão”.

    “Se (o presidente russo, Vladimir) Putin pensa que pode nos esperar, ele está muito enganado”, disse Harris em um painel no encontro de políticos, oficiais militares e chefes e especialistas da indústria de defesa na conferência de Munique. “O tempo não está do lado dele.”

    Wang reiterou um apelo ao diálogo e sugeriu que os países europeus “pensassem com calma” sobre como acabar com a guerra.

    Wang também disse que há “algumas forças que aparentemente não querem que as negociações tenham sucesso ou que a guerra termine logo”, sem especificar a quem se referia.

    Em entrevista à Reuters, a chefe da União Europeia, Ursula von der Leyen, disse que Pequim não é neutra em relação à Ucrânia. “A China claramente tomou partido e assinou o acordo de amizade ilimitada com a Rússia. Portanto, assumiu uma posição específica”, disse ela.

    A Rússia, que classificou sua “operação militar especial” na Ucrânia como uma batalha existencial com um Ocidente agressivo e arrogante, acusou na sexta-feira os Estados Unidos de incitar a Ucrânia a intensificar a guerra ao tolerar ataques à Crimeia.

    A conferência de Munique começou na sexta-feira com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, instando os aliados ocidentais a acelerar o envio de armamento moderno no que ele chamou de uma guerra de “Davi contra Golias” pela liberdade contra a Rússia.

    Von der Leyen também delineou planos para acelerar o fornecimento de munições extremamente necessárias à Ucrânia e reabastecer os próprios estoques do bloco, enquanto a Polônia sinalizou a disposição de enviar caças MiG para Kiev.

    A ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, também se encontrou com Wang na conferência. Berlim vem revisando seus próprios laços com Pequim desde a invasão, preocupada com a forte dependência de sua economia ao mercado chinês.

    “Discutimos intensamente ontem como seria uma paz justa”, disse Baerbock. Blinken também realizou uma reunião bilateral com Baerbock na sexta-feira.

    “Não que você recompense o invasor, o agressor, mas que você defenda o direito internacional e aqueles que foram atacados. A China é, como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, obrigada a usar sua influência para garantir a paz mundial.”

    Por Humeyra Pamuk, Ryan Woo, Trevor Hunnicutt, Sabine Siebold, Andrew Gray, Alexander Ratz, John Irish, Andreas Rinke e Jonathan Landay

    Publicidade

    spot_img
    FonteREUTERS

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Jerry West, o “logotipo” da NBA morre aos 86 anos

    A antiga estrela do basquetebol americano e três vezes selecionado para o Hall da Fama Jerry West e cuja...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema