Quarta-feira, Junho 19, 2024
17.8 C
Lisboa
More

    Chega avança com proposta para criminalizar Marcelo por “traição à pátria”

    O Chega vai avançar com um processo contra o Presidente da República por “traição à pátria”. André Ventura anunciou a decisão contra Marcelo Rebelo de Sousa “por traição ao seu País e à sua Constituição”.

    A queixa-crime contra o chefe de Estado precisa ainda de aprovação parlamentar para ser efetivada, não sendo claro se o Chega tem, para lá dos seus 50 deputados, votos suficientes para fazer a medida passar.

    Esta é uma decisão tomada após uma reunião do grupo parlamentar, tendo sido ouvidas as várias opiniões, incluindo jurídicas, sobre a situação.

    “O Chega fê-lo a pensar naqueles que se sentiram agredidos pelas palavras do Presidente da República”, disse, referindo-se aos polémicos áudios em que Marcelo Rebelo de Sousa sugeriu que Portugal devia pagar reparações às ex-colónias.

    André Ventura entende que “não há paralelo na nossa história” de um caso destes, acusando o Presidente da República de ter promovido a “autorresponsabilização” dos portugueses. “Nunca um chefe de Estado português, em 900 anos de história, decidiu fazer um exercício de autorresponsabilização dos seus cidadãos”, reiterou.

    A partir dos Passos Perdidos, o presidente do Chega lembrou as famílias que sofreram com a descolonização, garantindo que recebeu vários contactos que alertavam para essa mesma “traição a Portugal, à nossa memória, à nossa história”.

    Explicando a decisão, André Ventura disse que há outras prioridades para o País, mas sublinhou que o partido tinha mesmo de “assinalar a gravidade das palavras” do Presidente da República. “É em nome desses todos, do País e da sua história, que decidimos avançar com um processo inédito na nossa história parlamentar, de acusação ao Presidente da República”, disse.

    André Ventura sublinhou que o Presidente da República, seja ele Marcelo Rebelo de Sousa ou outro, deve ser sempre respeitado enquanto figura máxima do Estado, mas também disse que este caso trouxe um problema. “O Presidente da República deixou de representar o interesse nacional e passou a representar o interesse de outros Estados. A gravidade aumenta quando, após as suas palavras, dois Estados, pelo menos, já pediram a reparação a Portugal”, vincou, falando num caso que “vai deixar marcas para as próximas gerações”.

    Questionado sobre o respaldo jurídico da situação, André Ventura explicou que houve opiniões contra o processo, enquanto outras pessoas entenderam que podia estar apenas em causa um processo cível, e não criminal. Mas houve também opiniões a favor desta decisão, que tem, segundo o presidente do Chega, o respaldo de todos os 50 deputados do partido.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Nvidia torna-se empresa mais valiosa da bolsa do mundo

    A fabricante de semicondutores Nvidia se tornou, nesta terça-feira (18), a empresa mais valiosa do mundo, superando Apple e...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema