Quarta-feira, Maio 29, 2024
26.4 C
Lisboa
More

    Caso 900 milhões: Carlos São Vicente conhece hoje as suas medidas de coação na PGR

    O empresário Carlos São Vicente, suspeito de crime de branqueamento de capitais e peculato, depois de ter visto congelada uma conta sua na Suíça, com 900 milhões USD, está hoje a ser ouvido na PGR desde as 09:00 e deverá ficar a conhecer que medidas de coacção lhe vão ser aplicadas.

    O antigo Presidente da seguradora AAA e actual gestor da AAA Activos, que viu apreendidos bens e congeladas as suas contas, em Angola e na Suíça e depois de apreendidos os edifícios da ex-seguradora AAA, e da rede de hotéis IKA e IU, tendo ainda sido recuperados” 49% das participações sociais da accionista AAA Activos Lda. no Standard Bank Angola SA. foi constituído arguido há duas semanas e começou a ser ouvido sobre os crimes de que é suspeito no passado dia 15.

    Hoje, como o Novo Jornal confirmou no local, foi retomada a sua audição, tendo entrado nas instalações da PGR cerca das 09:00, esperando-se que sejam conhecidas em breve as medidas de coacção que lhe serão aplicadas.

    A apreensão dos imóveis da AAA Activos, pelo Serviço Nacional de Recuperação de Activos da PGR, foi justificada com a forte suspeita de que estes bens foram adquiridos com verbas pertencentes ao Estado.

    Também a sua mulher, Irene Neto, filha do antigo Presidente, Agostinho Neto, viu a PGR congelar as suas contas em Angola e apreender alguns dos seus bens igualmente devido a este processo.

    O caso 900 milhões USD

    Carlos de São Vicente viu a justiça suíça congelar-lhe uma conta com 900 milhões de dólares norte-americanos por suspeita de se tratar de dinheiro proveniente de operações de branqueamento de capitais.

    Segundo o despacho do Ministério Público da Suíça, foram sete as contas congeladas do ex-presidente da seguradora angolana AAA Seguros, Carlos Manuel de São Vicente, mas apenas uma, com 900 milhões USD foi mantida nessa condição.

    Carlos de São Vicente é marido de Irene Alexandra da Silva Neto, antiga deputada e filha do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto que também viu as suas contas congeladas em Angola, bem como alguns bens apreendidos devido a este mesmo processo.

    As autoridades suíças alegam que entre 2012 e 2019 o empresário transferiu quase 900 milhões de dólares da companhia de seguros para as suas contas, algo que só foi descoberto quando o banco SYZ alertou para uma transferência de 213 milhões de dólares.

    “É pouco comum para um presidente executivo e do conselho de administração ter em sua posse fundos pertencentes a uma companhia, ainda para mais uma seguradora regulada pelo Estado, apesar de ter, neste caso, poder de representação individual da companhia”, lê-se na acusação divulgada pelo consórcio de jornalistas.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Polícia faz novas buscas no caso de influência russa no Parlamento Europeu

    O procurador-geral da Bélgica afirma que um funcionário do Parlamento Europeu desempenhou um "papel significativo" numa presumível operação de...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema