Domingo, Março 3, 2024
11.5 C
Lisboa
More

    CASA-CE aponta falta de vontade política não realização das autarquias

    Afastada há muito das prioridades da agenda politica do MPLA, partido que suporta o governo com uma maioria parlamentar qualificada, em Angola, as eleições autárquicas voltaram a merecer, nesta segunda-feira, 14, comentários do Presidente da República que admitiu ser uma “anormalidade” a não implementação das autarquias locais no país.

    Por: JN | In Facebook

    Em visita de Estado no arquipélago de Cabo Verde, João Lourenço voltou afirmar, que a referida anormalidade decorre da não aprovação do pacote legislativo autárquico pela Assembleia Nacional.

    Em reacção aos pronunciamentos do Presidente da República, a CASA-CE, na voz do seu Secretário Nacional Para Informação e Marketing, considerou a falta de vontade política do partido governante como razão única para não implementação das autarquias locais, em Angola.

    Dirigentes da Coligação de Partidos políticos CASA-CE.
    (DR)

    Na sua comunicação à VOA e à Rádio Despertar, feitas em entrevistas separadas, João Nazaré salientou, que se trata de uma fuga para frente do Presidente da República. “Não colhem os argumentos do PR/JLo, porquanto, há muito que faltam apenas duas leis para conclusão do pacote legislativo autárquico, um pendente que pode ser resolvido ao longo de um dia de trabalho parlamentar,” sublinhou o político.

    Segundo João Nazaré, nos últimos anos o parlamento angolano aprovou vários diplomas legais com carácter de urgência, na sua maioria, proposto pelo titular do poder Executivo, prontamente acolhidos e aprovados pela Assembleia Nacional, tratamento que nunca se prestou ao pacote legislativo autárquico, por falta de vontade política, precisou o também membro do Colégio Presidencial da CASA-CE.

    MILITANTES DA CASA-CE.
    (DR)

    Ao ter aventado a possibilidade das eleições autárquicas serem a realizadas em simultâneo com as gerais, ainda em 2022, o Titular do Poder Executivo voltou a criar falsas expectativas aos angolanos, na visão do dirigente da CASA-CE. “O OGE para 2022 aprovado recentemente não prevê verbas para as autarquias locais, salvo melhor entendimento, o que significa dizer que a implementação das autarquias nunca esteve na agenda politica do Executivo de João Lourenço, para o ano 2022, rematou João Nazaré.

    Presidida pelo economista Manuel Fernandes, a CASA-CE, fundada há 3 de abril de 2012, em Luanda, é segunda maior força política na oposição, composta pelos partidos políticos PALMA, PADDA-AP, PNSA, PPA e PDP-ANA.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Líder da Junta Militar do Chade anuncia candidatura depois do assassinato do líder da oposição

    O líder da Junta Militar do Chade, Mahamat Idriss Deby Itno, anunciou neste sábado, 2, a sua candidatura às...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema