Segunda-feira, Julho 22, 2024
18.4 C
Lisboa
More

    Carne de Peru: fonte de Proteína sem gordura

    A carne de peru é uma óptima fonte de proteína animal com baixos níveis de gordura e colesterol e com alto teor de proteínas, que pode ser consumida por indivíduos de qualquer faixa etária, sem restrições. Usando esta carne na alimentação, torna-se mais fácil manter uma dieta reduzida em calorias e gorduras e com a quantidade adequada de proteínas.
    Adolescentes e adultos, de ambos os sexos, devem consumir pelo menos 50 a 175 g. de proteína por dia para satisfazerem as suas necessidades. Portanto, consumindo 300g de carne de peru sem pele por dia, alcançamos as recomendações diárias de proteína do corpo, ingerindo apenas 5g de gordura, que contribui com apenas três por cento das recomendações de gordura.
    A carne de peru é uma óptima opção para se variar o cardápio, proporcionando um sabor leve e gostoso de forma muito saudável. Há quem considere esta carne como a mais magra que existe, possuindo em média, dois gramas de lípidos para cada 100 gramas de produto.  Contribui para uma alimentação que vise a redução do peso, percentagem de gordura corporal, colesterol ou ainda controlar a glicemia, visto que não contém glícidos. É também uma formidável fonte de proteínas de grande valor nutritivo.
    Uma porção de cerca de 100 gramas de peru fornece quase metade das necessidades diárias em proteínas, fornecem energia
    A carne de peru é rica em ferro, em vitamina B3, que contribui especialmente para produção de energia, e em vitamina B6, que desempenha várias funções importantes e participa no metabolismo dos aminoácidos e na renovação dos glóbulos vermelhos.

    Como conservar carnes

    • A carne fresca estraga-se mais facilmente, por isso não deixe mais do que algumas horas no frigorífico, a uma temperatura entre 0 e 2ºC.

    • A carne cozinhada, sem molho, conserva-se melhor. Se tiver molho, não a guarde durante mais de 24 horas: os molhos são excelentes caldos de cultivo, ou seja, facilitam o crescimento de microrganismos.
    • O prazo de comercialização das carnes pré-embaladas deve ser curto: três dia após a data da embalagem, oito a contar da data do abate. Verifique sempre a data da embalagem.
    • As carnes congeladas conservam-se até seis meses se forem gordas, e até um ano se forem magras. Não perdem a frescura nem endurecem se forem descongeladas lentamente, de preferência no frigorífico. Não acelere a descongelação da carne, colocando-a, por exemplo, debaixo da torneira. Uma descongelação muito rápida aumenta a perda do suco da carne, deixando-a mais pobre em vitaminas e sais minerais e mais seca.
    • As carnes congeladas em pequenas peças devem ser cozinhadas ainda congeladas, embora dessa forma se tornem um pouco mais rijas.
    • Tal como qualquer outro alimento, depois de descongelar a carne, não volte a congelá-la. Caso contrário, a sua deterioração será acelerada. Eis um pequeno truque que pode ser útil: coloque uma folha de película aderente a separar os bifes, para evitar que estes se colem. Desta forma, pode retirar apenas os bifes de que necessita, sem ter de descongelar os restantes.
    • Limpe cuidadosamente a carne antes de a congelar. Corte-a em pequenos pedaços e desosse-a. Retire o máximo de gordura possível, para evitar que crie ranço, o que reduziria o tempo de conservação.

     

    Fonte: Jornal de Angola

     


    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Trump diz que Kamala Harris será mais fácil de derrotar do que Biden

    O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse à CNN neste domingo que acha que será...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema