Terça-feira, Maio 28, 2024
17.8 C
Lisboa
More

    Ataque à aldeia deixa quase 60 mortos no Níger

    Governo do Níger decreta luto após ataques deixarem dezenas de mortos numa aldeia próxima à fronteira com o Mali. Nenhum grupo jihadista ou milícia étnica reivindicou a ação. Vítimas voltavam de um mercado na região.

    O Governo do Níger afirmou esta terça-feira (16.03) que os ataques de segunda-feira junto à fronteira com o Mali – que atingiram um grupo de civis que regressava de um mercado – mataram ao menos 58 pessoas.

    Na segunda-feira à tarde, “grupos de indivíduos armados ainda não identificados intercetaram quatro veículos que transportavam passageiros que regressavam do mercado semanal de Banibangou para as aldeias de Chinagodrar e Darey-Daye”, indicou um comunicado do Governo, lido esta noite na televisão estatal e citado pela agência France-Presse (AFP).

    “Estes indivíduos procederam de forma cobarde e cruel à execução seletiva de passageiros. Na aldeia de Darey-Daye mataram pessoas a atearam fogo a celeiros”, acrescentou o documento. O Governo referiu ainda que os “atos bárbaros” deixaram “58 pessoas mortas, uma pessoa ferida, vários celeiros e dois veículos incendiados”, roubando ainda outros dois veículos.

    Moradores da região de Tillabéri (foto) foram mortos
    (DR)

    Sem autoria conhecida
    Banibangou é o lar de um dos mais importantes mercados semanais próximos da fronteira com o Mali. A região de Tillabéri, localizada na zona das “três fronteiras” Níger-Mali-Burkina, frequentemente atacada por grupos ‘jihadistas’, é também altamente vulnerável à insegurança alimentar crónica, agravada pelo estado de emergência.

    Os ataques não foram ainda reivindicados por nenhum grupo.

    Além dos grupos ‘jihadistas’, a região de Tillabéri alberga também grupos antiterroristas, que os especialistas dizem ter levado a um aumento de milícias étnicas, alimentado as tensões intercomunitárias.

    O ataque de segunda-feira teve contornos semelhantes aos realizados em 2 de janeiro e que resultaram na morte de mais de 100 pessoas, segundo um balanço do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês).

    Em 12 de janeiro, a OCHA divulgou uma nota em que estimava que cerca de 10.600 pessoas tivessem abandonado 1.523 casas nas aldeias de Tchoma-Bangou e Zaroum-Dareye, no sudoeste do país, para outros locais da região de Tillabéri.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Angola: Indícios de escândalo financeiro abalam Administração Geral Tributária

    Processos de investigação criminal na Administração Geral Tributária (AGT) em Angola, com detenções por suspeitas de corrupção na província...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema