Segunda-feira, Fevereiro 26, 2024
12.1 C
Lisboa
More

    Angola elimina progressivamente gases empobrecedores da camada de ozono

    Sianga Abilio, secretario de estado para novas tecnologias (Foto: Rosário Santos)
    Sianga Abilio, secretario de estado para novas tecnologias (Foto: Rosário Santos)

    O secretário de Estado para a Tecnologias Ambientais e Qualidade do Ambiente, Syanga Abílio, disse hoje (quarta-feira), em Luanda, que Angola tem vindo a desenvolver acções para a eliminação progressiva dos gases que empobrecem a camada de ozono.

    Falando durante o Workshop sobre as substâncias reguladores, no âmbito do 16 de Setembro, Dia Mundial da Preservação da Camada do Ozono, o dirigente fez saber que este engajamento  mereceu, em 2012, um  diploma de mérito do Secretariado do Ozono do programa das Nações Unidas.

    Explicou que depois das acções já realizadas e bem sucedidas, Angola tem agora a obrigação de eliminar os Hidroclorofluorcarnos, até 2015, numa proporção de 10 porcento e na sua totalidade até 2030.

    No quadro do Decreto Presidencial 153/11, de 15 de Junho, estão proibidas a entrada de substâncias como clorofluorcarbonos, halons, tetracloreto de carbono, bromocloremetano, enquanto na situação de condicionados estão os clorofórmio de metilo, brometo de metilo e hidroclorofluorcarbonos, este último sujeito ao pagamento de taxas.

    “Todas as acções que o país levou a cabo são sem dúvidas o resultado da entrega e abnegação de todos os parceiros comprometidos com a causa, visando a melhoria da qualidade de vida da população” – disse.

    Neste particular, segundo o dirigente, os planos conjunto têm sido levados a cabo com os serviços das alfândegas no sentido de implementar o regulamento sobre as substâncias destruidoras da camada de ozono.

    Indicou que está acautelada, na nova Pauta Aduaneira a vigorar a partir de Janeiro de 2014, a proibição da entrada em território nacional de substâncias cujo prazo de eliminação é até 2010.

    Apelou aos importadores nacionais e estrangeiros a buscar as alternativas que o mercado apresenta em relação às substâncias sujeitas a condicionalismos.

    Quanto à data (16 de Setembro), disse ser uma oportunidade para que a humanidade reflicta sobre a importância da preservação da camada de ozono.

    Explicou ser importante que as pessoas estejam consciencializada que “para um planeta terra” cada vez mais sustentável depende da protecção da Camada de Ozono.

    Para tal, é preciso que todos estejam envolvidos no combate às substâncias que continuam a danificar a Camada de Ozono, sem negligenciar as acções de educação e sensibilização da sociedade.

    Angola, através do Ministério do Ambiente,  esteve na presidência rotativa do Protocolo do Ozono de 2011 a 2012, e durante este período foi reforçado o aspecto da capacidade institucional para o cumprimento dos programas nacionais.

    A Actividade, realizada no Instituto Médio Técnico São Benedito, no distrito do Rangel, em Luanda, foi uma iniciativa conjunta dos Ministérios do Ambiente e do Comércio em parceria com Rede Maiombe. (portalangop.co.ao)

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Estados Unidos e China exploram novas opções de alívio da dívida para os países em desenvolvimento

    Os Estados Unidos e a China estão a discutir novas medidas para evitar uma onda de incumprimentos soberanos nos...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema