Domingo, Maio 26, 2024
17.1 C
Lisboa
More

    Amnistia Internacional acusa autoridades angolanas de reprimirem organizações da sociedade civil antes das eleições

    As autoridades angolanas estão a reforçar o seu domínio dos direitos à liberdade de reunião e associação pacíficas, impedindo a realização de reuniões da sociedade civil antes das eleições gerais de Agosto, disse hoje a Amnistia Internacional.

    “A perseguição e intimidação de ativistas e a repressão de organizações da sociedade civil, que estão apenas exercendo seus direitos e tentando realizar uma conferência, é um desenvolvimento preocupante para os direitos humanos em Angola”, afirmou Deprose Muchena, Directora da Anistia Internacional para a África Oriental e Austral.

    Em 21 de Maio, a polícia angolana impediu duas ONGs, nomeadamente, a Omunga e Associação para Desenvolvimento da Cultura e Direitos Humanos (ADCDH) – de realizar uma conferência sobre construção da paz. A polícia bloqueou a entrada do Hotel Maiombe em Cabinda para impedir a entrada dos participantes, alegando que estavam a cumprir ordens dos seus superiores.

    “O assédio e intimidação de ativistas e repressão de organizações da sociedade civil, que estão apenas exercendo seus direitos e tentando realizar uma conferência, é um desenvolvimento preocupante para os direitos humanos em Angola – especialmente antes das eleições de Agosto”, disse Deprose Muchena.

    “Ao impedir que esta conferência aconteça, as autoridades estão mostrando sua crescente intolerância à crítica”, acusa sustentou aquela responsável.

    “Ao perseguir e intimidar os activistas e impedir a realização desta conferência, as autoridades estão mostrando sua crescente intolerância às críticas. A repressão às organizações independentes da sociedade civil, o debate e as visões críticas sobre questões como economia e direitos humanos devem parar.

    “O amordaçar desta conferência da sociedade civil é uma reminiscência de anos eleitorais anteriores, quando os direitos humanos foram repetidamente atacados. As autoridades angolanas devem parar de visar activistas e grupos da sociedade civil e, em vez disso, respeitar, proteger e promover os seus direitos humanos e fornecer um ambiente propício para que eles operem”, afirmou Deprose Muchena.

    Os oradores convidados para o encontro incluíram o economista Belchor Tati, o advogado de direitos humanos Arão Tempo, o padre Celestino Epalanga da Igreja Católica e o Rev. Dr. Daniel Ntongi-Nzinga, activista da construção da paz e pastor da Igreja Baptista.

    O amordaçar desta conferência da sociedade civil é uma reminiscência de anos eleitorais anteriores, quando os direitos humanos foram repetidamente atacados. As autoridades angolanas devem parar de visar activistas e grupos da sociedade civil e, em vez disso, respeitar, proteger e promover os seus direitos humanos e fornecer um ambiente propício para que eles operem.

    A conferência não estava a ser realizada num local público. Foi um evento privado que estava a ocorrer num local privado. Ao proibir a entrada dos participantes, as autoridades violaram o direito à liberdade de reunião pacífica, consagrado na Constituição angolana, a Carta Africana dos Direitos Humanos e dos Povos, da qual Angola é Estado Parte. As autoridades angolanas devem acabar com a repressão e o assédio à sociedade civil angolana independente.

    Fundo

    Cabinda, que é a província mais militarizada de Angola, restringe fortemente o espaço cívico. A província está envolvida num conflito armado entre as forças de segurança do governo e o grupo rebelde Frente de Libertação do Enclave de Cabinda (FLEC).

    As restrições ao funcionamento das organizações da sociedade civil e do espaço cívico têm vindo a aumentar em Angola nos últimos meses. Em 9 de Abril de 2022, a polícia prendeu arbitrariamente 26 jovens que planeavam uma marcha para exigir a libertação de presos políticos. Eles foram acusados ​​de desobedecer e insultar a polícia.

    Todos os 26 detidos foram finalmente libertados, embora os dois organizadores tenham sido condenados e obrigados a pagar multas.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Anora de Sean Baker vence Palma de Ouro em Cannes. Miguel Gomes recebe Melhor Realização com Grand Tour

    O realizador norte-americano recebeu o prémio de Melhor Filme no Festival de Cinema de Cannes pelo qual "trabalhou toda...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema