Sexta-feira, Junho 21, 2024
21.1 C
Lisboa
More

    A Câmara dos EUA votará contra o congelamento das exportações de gás de Biden, fazendo antever a posição dos republicanos sobre o clima

    A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos votará contra o congelamento nas aprovações de exportação de gás natural liquefeito do governo Biden, segundo a agência Bloomberg, citando a representante republicana Cathy McMorris Rodgers , que preside o Comitê de Energia e Comércio da Câmara.

    A posição da Câmara dos Representantes permite-nos antever qual será a posição de um futuro governo republicano em relação às questões climáticas, caso o candidato do partido Republicano ganhe as eleições de novembro de 2024.

    A Casa Branca anunciou na sexta-feira passada que iria suspender a aprovação de novas licenças para exportar GNL enquanto examina a forma como os envios afetam as alterações climáticas, a economia e a segurança nacional – uma moratória que provavelmente irá perturbar os planos de milhares de milhões de dólares em desenvolvimentos planeados.

    Leia mais: OS EUA PODERÃO SUSPENDER TEMPORARIAMENTE AS APROVAÇÕES DE EXPORTAÇÃO DE GNL, O QUE TERÁ IMPLICAÇÕES PARA A TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

    A decisão responde às preocupações dos activistas climáticos que afirmam que aprovações adicionais apenas prolongarão a dependência mundial do gás natural e desencorajarão os investimentos em alternativas mais limpas e isentas de emissões.

    A questão ganhou maior destaque depois de quase 200 nações terem concordado no mês passado na COP28, em Dubai, que o mundo deve abandonar os combustíveis fósseis – e antes das eleições de novembro nos EUA, nas quais o clima é uma questão fundamental. Os ativistas planearam uma manifestação de 6 a 8 de fevereiro no Departamento de Energia para exigir a suspensão de novas aprovações de GNL.

    O anúncio atraiu a ira da indústria, bem como dos principais republicanos – incluindo o presidente da Câmara, Mike Johnson , que classificou a medida como “tão ultrajante quanto subversiva”, ao mesmo tempo que fortalece adversários como a Rússia.

    Os defensores do gás natural argumentam que o atraso irá travar o desenvolvimento, limitar potenciais remessas futuras para aliados europeus e prejudicar pelo menos alguns ganhos ambientais de curto prazo ligados à substituição do carvão. “Qualquer ação para suspender as aprovações de exportação de GNL dos EUA seria um grande erro que colocaria em risco os empregos e aliados americanos, ao mesmo tempo que minaria os objetivos climáticos globais”, disseram quase três dúzias de grupos de petróleo e gás numa carta quarta -feira à secretária de Energia, Jennifer Granholm .

    Embora uma medida isolada provavelmente estaria morta à chegada ao Senado controlado pelos Democratas, é possível que a questão possa emergir como um complemento republicano num pacote de ajuda de emergência para a Ucrânia, Israel e Taiwan procurado pelos Democratas.

    Publicidade

    spot_img

    POSTAR COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    - Publicidade -spot_img

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Angola: Comissão Económica aprecia proposta de novo regime de preços e analisa desempenho económico em 2024

    A Comissão Económica do Conselho de Ministros apreciou ontem, quinta-feira, uma proposta de lei que concede ao Presidente da...

    Artigos Relacionados

    Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
    • https://spaudio.servers.pt/8004/stream
    • Radio Calema
    • Radio Calema