Radio Calema
InícioCulturaMúsicaArtistas que apoiaram o regime e os que defenderam a alternância

Artistas que apoiaram o regime e os que defenderam a alternância

O nosso país conheceu, no dia 24 de Agosto último, um dos momentos mais importantes da sua história democrática efectiva. Angola jamais será a mesma, pois a cidadania nunca esteve tão activa como a que estamos a presenciar neste ano.

Os angolanos, de todos os estratos sociais, políticos e culturais saíram às ruas para participarem da maior festa da democracia através da escolha de quem deverá governar os próximos cinco anos – 2022-2027. Eram sete partidos políticos e uma coligação de partidos, nomeadamente a FNLA, MPLA, UNITA, PRS, APN, PHA, P-NJANGO e CASA-CE.

Pela primeira vez na história das eleições gerais em Angola e no meio de vários artistas que se têm posicionado a favor do partido no poder, o MPLA, através de músicas e participações em campanhas eleitorais de forma clara, a oposição, por meio da UNITA-FPU, recebeu um inacreditável apoio popular e da classe artística que se encontra em Angola e na diáspora.

Pelo partido no poder, a lista de artistas é longa, mas vamos destacar Matias Damásio, Yola Semedo, Preto Show e Filho do Zua, músicos que deram voz ao hino de campanha “MPLA 8”. E não podemos nos esquecer de mencionar outros que cantaram nos comícios e mobilizaram na internet como é o caso da Pérola, Big Nelo, Os The Twins, Patrícia Faria, Neide Sofia, Chetekela, Kelson, Cleide Afonso Aryovaldo, Yonaza Almeida, Bambila e Joly Makanda, muitos dos quais perderam seguidores nas redes sociais através de uma campanha de cancelamento promovida por cidadãos.

Em 2017, o internacional congolês Koffi Olomide dedicou uma canção ao presidente do MPLA, João Manuel Gonçalves Lourenço. E neste ano eleitoral, apesar de doente e a receber tratamento em Lisboa, Portugal, o kudurista Nagrelha dos Lambas gravou um vídeo a encorajar os seus fãs a votarem a favor do partido no poder há 47 anos.

Pala UNITA-FPU, para além do músico José Adelino Barceló de Carvalho, “Bonga”, compor e cantar a música principal da campanha eleitoral, intitulada “Alternância”, os artistas Pai Banana, Gilmário Vemba, Calado Show, Paulo Flores, Kotingo, Fábio Dance, Cabo Snoop, Sarissari, Te Macedo, Pedrito do Bié, Flay Squad, Cheick Mohammed Hata e Puto Prata mostraram-se favoráveis à alternância política em Angola, através de um posicionamento a favor e contestaram os resultados eleitorais definitivos divulgados pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE) e confirmado pelo Tribunal Constitucional.

José Eduardo Agualusa, Totó SP, MC-K, Flagelo Urbano e outros não deram rostos à campanha política partidária, mas falam da importância do processo ser conduzido com maior lisura, transparência e justiça eleitoral possível.

Na última quinta-feira, 15, o presidente do MPLA e considerado vencedor pela CNE, tomou posse como Presidente da República e a oposição, através da UNITA-FPU, liderada por Adalberto Costa Júnior, Abel Epalanga Chivukuvuku e Filomeno Vieira Lopes, garantiram na quarta-feira, 14, durante a apresentação sobre a sua posição face aos últimos acontecimentos políticos do País, que não reconhecem os resultados eleitorais e anunciaram a realização de uma manifestação no próximo dia 24 de Setembro.

Recorda-se que no dia 8 de Setembro, a UNITA, PRS, Bloco Democrático, CASA-CE e FNLA emitiram um comunicado conjunto para alertar que estão a “estudar o quadro e as condições para a organização e convocação de manifestações como expressão do sentimento de repulsa dos cidadãos” eleitores face aos chumbos das reclamações destas forças da oposição.

Siga-nos

0FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.