Radio Calema
InícioAngolaSociedadeMalanje: Pandemia leva às ruas mais crianças

Malanje: Pandemia leva às ruas mais crianças

O número de crianças de e nas ruas na província angolana de Malanje aumentou com a pandemia do novo coronavírus, com as limitações impostas a agravaram a pobreza no seio de muitas famílias, resultante do encerramento de empresas, redução da força de trabalho ou porque nunca tiveram empregos permanentes

A chefe dos Serviços do Instituto Nacional da Criança (INAC), em Malanje, Sara Milagre, que fez esta revelação, não avançou números comparativos do fenómeno antes da crise da Covid-19, mas avançou que, de Janeiro a Abril deste ano, foram identificadas mais de 147 crianças sem tecto.

“O número de crianças é 147 e já constam os meninos de rua e na rua, que até agora está a ser difícil nós detectarmos meninos de rua e na rua. Porque antes os meninos na rua eram aqueles que vinham simplesmente à rua e a partir das 17 ou 18 horas se recolhiam e iam para as suas casas”, afirmou Milagre, quem também apontou a desestruturação familiar, abandono e fuga à paternidade são outras causas para esse fenómeno.

Por agora, através da campanha nacional de reunificação familiar, 25 menores foram devolvidos às suas famílias.

“Temos já 25 crianças reunificadas que não constam nessas 147, significa dizer que essas 147 estão a ser difíceis porque nós reunificamos elas, mas em dois ou três dias, ou 24 horas elas voltam novamente à rua”, referiu Sara Milagre.

Muitos menores foram rejeitados pelas referidas famílias por abraçarem o mundo da delinquência ou por outras razões, ainda segundo aquela responsável.

Estrela Hote, secretária do presidente da Missão Nordeste da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Malanje, Angola, 17 Maio 2022.
(DR)

Medidas do Governo e igrejas
Para fazer frente a esta situação, Milagre revelou que o Governo local construiu na comuna do Lombe, município de Cacuso, o centro de acolhimento de rapazes Dori Lombe que na primeira fase vai receber 50 crianças de vários municípios de Malanje.

A Missão Nordeste da Igreja Adventista do Sétimo Dia também vai erguer naquela localidade outro centro para milhares crianças desamparadas, segundo a secretária do presidente da referida congregação religiosa, Estrela Hote.

“Queremos evitar em primeiro [lugar] a fuga a paternidade, com isso queremos velar primeiramente não só pela vida espiritual, mas por uma sociedade segura. Pois as crianças são o futuro de qualquer nação”, disse Hote, afirmando que o centro “terá a capacidade de albergar cerca de 5 mil crianças, aproximadamente”.

Siga-nos

0FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.