Radio Calema
InicioCrónicas e ArtigosGreve dos taxistas: O aproveitamento político planeado pelo MPLA - Osvaldo Tchingombe

Greve dos taxistas: O aproveitamento político planeado pelo MPLA – Osvaldo Tchingombe

A Greve é um direito constitucionalmente consagrado e qualquer pessoa que sentir-se lesada por alguma razão deve e muito bem reivindicar seus direitos por meio de uma greve, manifestação ou outra forma que esteja prevista na lei, no entanto, os Taxistas usaram de um direito que lhes assiste para manifestarem-se diante das injustiças à que tem sofrido por parte das autoridades Governamentais deste País, pese embora, o primeiro dia ter sido marcado por alguns Actos menos aceitáveis, Actos como ataque ao Comité de Acção do MPLA, Inviabilização de algumas havias em várias partes da cidade de Luanda por alguns Indivíduos e a queima de um autocarro do Ministério da Saúde e que é de facto triste mas é compreensível tais Acções.

As Acções dos Cidadãos envolvidos em Actos não muito abonatórios no Benfica são reprováveis mas são compreensíveis tendo em conta a natureza humana quando se vê diante de uma situação em que os mecanismo normais de concertação entre Grupos Sociais e Governos são desrespeitados e colocados em causa por parte de um dos lados, ou seja, quando o Diálogo e o Respeito que são mecanismo normais e recomendáveis são colocados de parte pelo Governo e este opta pela mentira ou pela Força, quem vê os seus direitos lesados tendem adoptar posições do gênero como uma forma de chamar atenção, ou seja, para estes Cidadãos a única forma de lidar ou ser olhado pelo Governo foi esta, a mais agressiva possível porque as outras formas foram ignoradas, então, houve aqui um efeito Acção e Reação e bem lá no fundo a culpa é de quem agiu primeiro, ou seja, é do Governo que não soube dialogar e desrespeitou os 6 dos 7 pontos que os Taxistas reivindicam.

E por outra, o ataque ao Comité do MPLA também é compreensível por uma razão muito simples, o MPLA é quem governa e desta feita o Povo identificou ou vai sempre identificar o MPLA como culpado dos seus problemas sempre que se encontrar em situações do gênero e em função disto retalhará sempre que possível o Partido no Poder, no entanto, numa analogia coerente, não havia mais outra Instituição Política para ser retalhada a não ser o MPLA e as Instituições do Estado. Portanto, compreender estes Actos não significa apoia-los mas significa que o MPLA Partido que sustenta o Poder deve aprender a Dialogar, a Reconhecer os seus Erros, Deixar de Ser Populista, a Dar ao Povo o que quer, a Resolver os Problemas do Povo na sua amplitude e Ter acima de tudo o espírito da Concertação sob pena de continuarmos assistir situações do gênero e a cada dia que passa tais situações vão se tornando mais grave e será difícil de conte-las até que um dia leve todo Povo as ruas e ali será o fim do Regime mas da pior maneira.

APROVEITAMENTO POLÍTICO PLANEJADO

Ora, houve um Aproveitamento Político e Planejado por parte do MPLA, isto é, independentemente do que dissemos anteriormente, há ainda assim certos aspectos nestes Actos que não devem passar em branco e que nos levam a crer que o Povo foi induzido em erro para tomar a decisão que tomou por um Agente Provocador, ou seja, mesmo havendo motivos para reivindicação não deixa de ser estranho o modo como as coisas ocorreram, mas vamos aos Factos:

Foi há uma semana em que o Presidente da República, João Lourenço na entrevista que concedeu acusava a Oposição de arruaças envolvendo a queima de pneus, ataques as Instituições do Estado e quebra de vidros de certas viaturas mesmo na devida altura a Oposição nunca ter feito o que lhe estava a ser acusada e logo a seguir acontece isto, ou seja, para nós Acção de hoje foi bem Planejada pelo Regime para descredibilizar a Oposição na medida em que hoje começaria as actividades da Oposição em vista as eleições;

É estranho que desde as primeiras horas em que os ataques começaram a Polícia não interveio logo e interveio apenas quando os estragos estavam consumados e é estranho porque ali mesmo no Benfica, junto do Comité do MPLA tem uma Unidade Policial que podia muito bem evitar o desenvolvimento dos factos mas não fez nada, deixando os Agentes Provocadores atingirem seus objetivos e só depois terem uma intervenção que deixou muito a desejar porque das informações que temos algumas pessoas detidas muitas delas nem se quer têm alguma coisa que haver com o que se passou;

É muito estranho também mas muito estranho mesmo que em plena Segunda Feira, dia normal de trabalho não tinha ninguém na Sede do Comité de Acção do MPLA a trabalhar, ou seja, nem os Administrativos e nem os Seguranças que normalmente estão lá 24/24 horas, isto denota que havia um plano ou já sabiam de antemão que tal facto iria acontecer, dali ninguém ter aparecido no local de trabalho.

Portanto, tudo que o Bento Bento falou ou que o MPLA vai falando de modo geral não passa de falácia e de Show Off sabendo que eles é que programaram tudo isto e a Oposição e a Sociedade Civil ou a Sociedade em geral devem estar atentos as estas manobras porque depois de termos denunciado que o Regime Estrategicamente estava a induzir as pessoas a não se registarem criando desta feita a Abstenção Planejada e a Oposição ter nos ouvidos, cuja primeira Acção foi ao longo do final de semana em que toda a UNITA saiu as ruas para Sensibilizar e Mobilizar os Cidadãos a aderirem o Registo Eleitoral, o MPLA encontrou outra forma de inviabilizar e colocar em causa o Processo Eleitoral e ataques aos seus CAP’s, queima de pneus e destruição de bens públicos faz parte desta Estratégia onde o culpado será sempre a Oposição e haverá muitas situações semelhantes ao longo deste ano. E pelo que se sabe, o MPLA pretende através do Tribunal Constitucional pela segunda vez impugnar ao longo deste mês o XIII Congresso da UNITA e espera que a UNITA reaja com manifestações e com isto o Regime aproveitar e fazer das suas tudo para Inviabilizar o Processo Eleitoral, atenção a jogada.

Obs: Agente Provocador é um Indivíduo dos Serviços de Inteligência e Segurança de Estado usado para se infiltrar num grupo cujo fim último é desencadear um tipo de Acção que leva os Órgãos de Defesa a intervirem e passarem uma ideia que não corresponde com a verdade, ou seja, um Agente Provocador agita ou incentiva um Grupo a tomar decisões as quais não estavam programadas como tal e foi o que aconteceu hoje no Benfica porque apesar de haver razão de reivindicação ainda assim houve excesso e a População foi usada tudo para denigrir a UNITA.

= Osvaldo Tchingombe = Sociólogo Independente & Comunicador/Analista Político…”Salúte”…

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.