Radio Calema
InicioAngolaPolíticaCiberataques a organizações angolanas aumentaram 58% em 2021

Ciberataques a organizações angolanas aumentaram 58% em 2021

Numa análise retrospetiva, a Check Point Research (CPR), área de Threat Intelligence da Check Point® Software Technologies Ltd. (NASDAQ: CHKP), fornecedor líder de soluções de cibersegurança a nível global, partilha as estatísticas globais e nacionais relativas ao aumento do número de ciberataques que têm como alvo redes corporativas. Em 2021, o pico registou-se em Dezembro, muito devido à vulnerabilidade no Log4J. Em Angola, uma organização foi atacada, em média, 2586 vezes por semana – um aumento de 58% face a 2020.

No ano passado, a CPR viu o número de ciberataques por semana contra organizações no mundo aumentar 50%, em comparação com 2020. A tendência para o crescimento destas ameaças atingiu um novo pico no final de 2021, com a revelação da vulnerabilidade presente no Log4J, que fez com que o número de ciberataques por semana contra organizações chegasse aos 925, a nível global.

Em Angola

Uma organização angolana sofreu, em média, 2586 ataques por semana;
A média semanal de ciberataques por organização aumentou 58% em comparação com 2020

Regiões mais visadas

África, região Ásia Pacífico e América Latina foram os principais alvos do cibercrime contra organizações, apesar de a Europa ter registado o maior aumento percentual de ciberataques de ano para ano.

África (+13%)
Ásia Pacífico (+25%)
América Latina (+38%)
Europa (+68%)
América do Norte (+61%)

Sectores mais visados no mundo

Educação/Investigação (+75%)
Administração Pública/Setor Militar (+47%)
Comunicações (+51%)
ISP/MSP (67%)
Saúde (71%)

“Os hackers continuam a inovar. O ano passado, vimos o número de ciberataques por semana em redes corporativas aumentar 50% em comparação com 2020 – um crescimento muito significativo. O pico chegou à medida que nos aproximámos do fim do ano, muito devido às tentativas de exploração da vulnerabilidade do Log4J. Novas técnicas de penetração nos sistemas e métodos de evasão fizeram com que fosse muito mais fácil para os hackers levar a cabo as suas intenções maliciosas,” começa por dizer Omer Dembinsky, Data Research Manager, da Check Point Software. “O que é mais alarmante é o facto de estarmos a ver algumas indústrias fulcrais para a sociedade subir cada vez mais na lista dos mais atacados. A educação, os serviços de administração pública, e o setor da saúde constam do top 5 de setores mais visados em todo o mundo. Acredito que estes números vão aumentar em 2022, com os hackers a inovar continuamente e a procurar novos métodos para executar ciberataques, especialmente ransomware. Podemos dizer até que estamos a viver uma ciberpandemia. Eu recomendo vivamente todos os utilizadores, especialmente quem está nos setores mencionados acima, a aprender o básico para se protegerem. Medidas simples como descarregar patches, segmentar redes e sensibilizar colaboradores podem fazer muito pela cibersegurança do mundo,” termina o responsável.

Dicas de Segurança

1. Privilegie a prevenção, não a deteção;
2. Proteja devidamente todos os seus recursos (redes, dispositivos, endpoints, entre outros);
3. Descarregue as patches regularmente;
4. Segmente as suas redes;
5. Sensibilize as suas equipas para a importância de adotar práticas de cibersegurança regulares;
6. Implemente tecnologias de segurança avançadas.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.