Radio Calema
InícioMundo LusófonoGuiné-BissauGuiné-Bissau: Presença de avião causa discórdia

Guiné-Bissau: Presença de avião causa discórdia

O Ministério Público da Guiné-Bissau emitiu uma ordem de detenção contra os peritos internacionais que inspecionaram o avião na madrugada desta quarta-feira, 8, apurou a VOA junto de uma fonte judicial ligada ao processo.

Os peritos, cujas organizações a que pertencem ainda se desconhecem, foram convidados pelo primeiro-ministro e encontram-se hospedados num dos hotéis em Bissau.

A 15 de Novembro, o Gabinete do Primeiro-Ministro informou sobre abertura de uma investigação ao “avião suspeito” que se encontra retido no Aeroporto Internacional desde 29 de Outubro.

O comunicado dizia também que a “investigação será efectuada por uma entidade externa que será responsável para analisar todas as circunstâncias suspeitas, envolvendo a aeronave”.

Ainda segundo a nota, o Gabinete do Primeiro-Pinistro indicou ter solicitado à comunidade internacional apoio na investigação através da “disponibilização de assistência e suporte”.

MP cria comissão de inquérito

Entretanto, sob a orientação do novo Procurador-Geral da República (PGR), Bacari Biai, o Ministério Público (MP) criou uma comissão de inquérito para apurar as circunstâncias que determinaram a presença do A340 no aeroporto “Osvaldo Vieira”.

O aparelho encontra-se retido em Bissau por ordem do primeiro-ministro, Nuno Gomes Nabian, desde 29 de Outubro deste ano.

Segundo uma fonte da VOA junto à PGR a comissão ora criada, liderada por um magistrado do MP integra elementos da Guarda Nacional e da Polícia Judiciária.

Coincidência ou não, a decisão do PGR em avançar com a criação da citada comissão acontece um dia depois de “dois peritos internacionais” terem aberto e entrado no porão pequeno do avião, sem que tivessem retirado algo, confidenciou uma fonte judicial.

“Os dois peritos abriram o porão do avião por volta de 01 h 26 minutos, entraram no interior do porão, saíram e o fecharam sem retirar nada”, adiantou a nossa fonte, de acordo ainda com a qual, os dois “peritos internacionais” não prestaram nenhuma declaração perante as pessoas que estavam presentes no momento da operação, entre os quais o presidente da Autoridade de Aviação Civil, Caramó Camara.

A abertura do avião por parte dos referidos “peritos internacionais” contou com a ordem directa do primeiro-ministro, Nuno Gomes Nabian, precisou, por outro lado, a nossa fonte.

PR disse saber do avião

Recorde-se que o Presidente Umaro Sissoco Embaló tinha dito saber do avião preso no aeroporto à ordem do Governo e que os proprietários do aparelho não eram “bandidos”.

Segundo Embaló, a empresa proprietária do avião fora recomendada pelo Presidente da Mauritânia, Mohamed Ould Ghazouani, a qual teria pretensões de instalar-se no país para a manutenção e reparação de aviões.

Siga-nos

0FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.