Radio Calema
InicioAngolaPolíticaLongas filas marcam registo eleitoral no Kuanza-Sul

Longas filas marcam registo eleitoral no Kuanza-Sul

No Sumbe, província angolana do Kwanza-Sul, longas filas para o registo eleitoral com vista as eleições gerais de 2022 geram insatisfação. À DW África, cidadãos relatam esperar até quatro horas para serem atendidos.

Em Angola, o processo de registo eleitoral na província do Kwanza-Sul, que teve início em setembro, tem sido marcado por muitos entraves.

Cidadãos disseram à DW que estão preocupados com a lentidão do servidor. Juliana Alberto relatou que precisou aguardar na fila por mais de três horas.

”Até agora não fui atendida, dizem que o processo está muito lento e estou aqui desde às 9h da manhã. Que nos digam a verdade – se aguardamos ou se regressamos para casa”.

Rodrigues Ekele chegou às 7h da manhã e às 11h20 também ainda não tinha sido registado. Segundo relatou, ”há pessoas que furam as filas porque são conhecidas dos operadores”, disse.

“A minha mensagem é para criarem mais postos, para que se diminuía [o tempo de espera] a que estas pessoas estão a ser submetidas”, acrescentou.

Outro cidadão, que preferiu anonimato, também tinha as mesmas queixas e manifestou frustração.

“Não sei ainda quando serei atendido. Os primeiros, chegaram aqui às 4h da manhã”.

Fiscais trabalham num sala de registo eleitoral em Angola (foto de arquivo)
(DR)

As promessas do MPLA
A DW África ouviu os membros dos partidos políticos que fiscalizam o processo. O secretário municipal do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), o partido no poder, António Wenga Franco, prometeu que, em breve, o processo será acelerado.

“Quando as brigadas móveis entrarem em campo o processo vai acelerar […]. O que acontece é que o sistema é concentrado e isso cria grandes filas”, explicou.

Franco acrescentou que o processo vai até Março, por isso apelou às pessoas “que tenham calma”.

“Queremos acreditar que até ao final do processo todos os cidadãos maiores terão o processo de atualização efetuado e estaremos, todos, em condições de ‘fazer a festa em 2022”’, disse.

A UNITA mostra o cartão vermelho ao Governo de João Lourenço.
(Foto: D.R.)

Os apelos da UNITA
Já o secretário municipal da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) no Sumbe, Milagre Fela, diz que a preocupação do maior partido da oposição está relacionada com o servidor instalado.

”Com este servidor fica difícil […]. Não é satisfatório como nós esperávamos. Muitos vão até a administração para tratar do seu cartão de munícipe e não conseguem levar os cartões”, explicou.

“Afinal, qual é o propósito deste registo aqui? Meu apelo vai no sentido de os cidadãos não recuarem. É verdade que é stressante, mas vamos suportar com calma e serenidade”, acrescentou.

Por sua vez, o diretor municipal de Registo e Modernização Administrativa, Emanuel Ferreira, explica que os constrangimentos são técnicos e garante que até a próxima semana tudo estará ultrapassado.

“Garantimos que até a próxima semana a situação fica resolvida. Para as eleições de 2022, o acesso ao voto será feito com o bilhete de identidade. Por isso, apelamos às pessoas que fiquem calmas, pois todos serão atendidos”.

Até ao momento foram registadas mais de 3 mil pessoas no Sumbe.

FonteDW

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.