Radio Calema
InicioAngolaPolítica"Não podemos mais ser vistos como meros espetadores", diz Adalberto Costa

“Não podemos mais ser vistos como meros espetadores”, diz Adalberto Costa

Adalberto Costa diz que UNITA não vai mais admitir interferências políticas do poder judicial. Político lança campanha à presidência do partido e defende que UNITA “não nasceu para se conformar com um lugar na oposição”.

O candidato único à presidência da União de Independência Total de Angola (UNITA), Adalberto Costa Júnior, disse esta quarta-feira (17.11) que o Galo Negro vai provar que não pretende continuar na oposição.

Destituído da liderança da UNITA em outubro por força de um acórdão do Tribunal Constitucional, Adalberto Costa lançou a sua campanha para a presidência do partido num evento em Luanda. A definição do candidato da UNITA para as eleições presidenciais de agosto de 2022 ocorrerá no XIII Congresso da UNITA, que será repetido em Dezembro.

Adalberto Costa defendeu que o partido não nasceu para se conformar com um lugar na oposição. O político disse estar pronto para servir os angolanos neste novo ciclo e defendeu que a UNITA seja relevante na vida de cada cidadão.

“Em primeiro lugar, não podemos mais ser vistos como meros espetadores, reclamando de ser vítima da má governação. É isso que o regime quer de nós. Ator secundário, tímido, que serve apenas para melhorar o rosto da democracia falsa, cheia de abusos e de imperfeições, e Estado de direito democrático apenas na letra da Constituição, e não existente na nossa realidade”, disse.

Evento marcou lançamento da campanha de Adalberto Costa à presidência da UNITA
(DR)

“Alternativa credível”
A UNITA, segundo o candidato ao cargo de presidente no congresso de 2 a 4 de dezembro, é “alternativa credível” para a construção de uma Angola justa e democrática.

“Vamos repetir o XIII Congresso, marcar o reinício de um novo tempo do nosso partido e do nosso país, para transmitir a sociedade angolana uma mensagem de confiança e de determinação. Não mais admitiremos interferências políticas por intermédio do poder judicial”, salientou o candidato.

O dirigente do maior partido da oposição aproveitou ainda a ocasião para acusar o Governo do Presidente João Lourenço de intensificar a destruição dos fundamentos democráticos, desde 2020, com o alegado sequestro dos órgãos de soberania e a manipulação da imprensa estatal pelo partido no poder, o MPLA.

Adalberto Costa defendeu que, em Agosto de 2022, Angola tem a oportunidade de construir uma nova “seleção de governação, fundada na valorização do quadro nacional”. O candidato prometeu mostrar que tem “projetos para orientar e governar o país”.

Militantes mostraram apoio à candidatura de Adalberto Costa
(DR)

Apoio interno
Militantes e alguns membros da sociedade civil manifestaram apoio incondicional ao candidato único à presidência do Galo Negro. O cofundador da UNITA, general Samuel Chiwale, disse no evento que a eleição de Adalberto Costa Júnior no congresso anulado foi um ato singular que será repetido em dezembro.

“Hoje estamos aqui de novo a repetirmos a mesma história. Camarada presidente Adalberto Costa Júnior, és o nosso candidato. A ti vamos votar”, disse

Em nome da juventude do partido, o apoiante António Marques pediu aos militantes que votem em Adalberto Costa. “Nós, os jovens angolanos, olhamos para o engenheiro Adalberto Costa Júnior como o candidato natural para substituir João Lourenço em 2022 na presidência da República”.

FonteDW

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.