Radio Calema
InicioMundoEuropaAnalista russo preso por compilar alegações polémicas sobre relações entre Trump e...

Analista russo preso por compilar alegações polémicas sobre relações entre Trump e Kremlin

O analista russo Igor Danchenko participou da criação do chamado Dossier Steele, um relatório que contém alegações de conluio entre a campanha presidencial do ex-presidente dos EUA Donald Trump e o governo russo.

Danchenko aponta que Trump cooperou com o governo russo durante sua campanha eleitoral de 2016, acabando por ser preso nesta quinta-feira (4) nos EUA como parte da investigação de John H. Durham, informou The New York Times citando entidades familiarizadas com o caso.

Durham foi nomeado por Trump para examinar a investigação sobre qualquer acto ilícito da Rússia. Contudo, Durham não comentou sobre o relatório e, por isso, a acusação de Danchenko ainda não foi desclassificada, segundo a mídia.

O polémico Dossier Steele foi desacreditado pelos investigadores norte-americanos, classificando-o de não confiável e baseado, em grande parte, em fontes anónimas.

Além disso, um relatório do conselheiro especial Robert Mueller, nomeado para investigar as alegações do “conluio” entre Trump e Moscovo, não encontrou nenhuma evidência de qualquer conspiração entre o ex-presidente e o Kremlin.

Durham se interessou por Igor Danchenko em Fevereiro de 2021, fazendo uso de uma intimação para obter antigos arquivos pessoais sobre o analista da Instituição Brookings, local de trabalho do analista russo.

De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, Danchenko deverá se apresentar no tribunal do estado da Virgínia às 14h30 (15h30, no horário de Brasília) sob acusações de mentir sobre as fontes de informação fornecidas ao FBI durante a campanha presidencial de 2016.

FonteSputnik

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.