Radio Calema
InicioMundoÁfricaAvanços de Marrocos podem influenciar economias africanas

Avanços de Marrocos podem influenciar economias africanas

‘O imperativo da recuperação econômica: Como pode a resolução da questão do Saara, fortalecer a integração regional e continental da África?’ Este foi um dos temas discutidos recentemente, em Kinshasa, por académicos, políticos e jornalistas de Angola, Camarões, Gabão, RDC, Gana e da Zâmbia que consideraram ser crucial o aproveitamento das capacidades industriais e tecnológicas de Marrocos no fortalecimento das economias de outros países da região do magrebe e do resto do continente a sul do Saara.

Neste último sector foi destacado o facto do Reino se ter tornado no primeiro país produtor de veículos em África à frente da África do Sul com cerca de 160 mil veículos produzidos em 2021.
(DR)

O seminário promovido pela BM Partners, empresa de relações públicas e lobbying com sede em Kinshasa considerou ainda os avanços de Marrocos nos sectores da transformação de pescado, agricultura, ou ainda da indústria automóvel. Neste último sector foi destacado o facto do Reino se ter tornado no primeiro país produtor de veículos em África à frente da África do Sul com cerca de 160 mil veículos produzidos em 2021. Enfim, experiências que se alargam ao campo da medicina, onde pontifica um investimento de 500 milhões de dólares para o fabrico local de vacinas contra a Covid-19. O projecto foi lançado pelo rei Mohammed VI e para a sua execução foram chamadas empresas chinesas.

A reflexão que reuniu 60 participantes e 30 oradores acabou também por se debruçar sobre o papel da União Africana, sobretudo da necessidade desta entidade andar mais depressa na busca de soluções que promovam a pacificação dos países do continente para a inversão da miséria, da fome e da pobreza.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.