Radio Calema
InicioMundo LusófonoPortugalAntigo administrador do BPP Paulo Guichard detido no Porto

Antigo administrador do BPP Paulo Guichard detido no Porto

O antigo administrador do BPP, Paulo Guichard, foi detido ontem de manhã pela Polícia Judiciária, no Porto, à chegada ao aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Em comunicado, a Polícia Judiciária informa que “através da Unidade de Informação Criminal, executou, ontem, um mandado de detenção para cumprimento de pena”.

Apesar de nesse comunicado essa informação não ser adiantada, a RTP sabe que o detido em causa é Paulo Guichard, antigo administrador do BPP, “condenado a uma pena única de quatro anos e oito meses de prisão efetiva pela prática de seis crimes de falsidade informática e um crime de falsificação de boletins, atas ou documentos”.

Trata-se de um processo que já tinha transitado em julgado mas que por questões processuais ainda não tinha sido emitido o mandado de condução à prisão, o que acabou por acontecer agora.

“Cumpridos os formalismos aplicáveis”, diz a PJ, “o detido foi entregue ao Estabelecimento Prisional”, no caso à cadeia de Custóias.

O ex-administrador do BPP Paulo Guichard, estava a residir no Brasil e tinha comunicado a intenção de regressar a Portugal para comparecer em audiência no Juízo Criminal de Lisboa.

“Logo que tiver chegado a Portugal, o arguido informará o tribunal dessa sua chegada. O arguido propõe-se apresentar e entregar o seu passaporte a este tribunal no dia seguinte ao da sua chegada a Portugal, e sempre antes das 14h00 do dia 08 de outubro de 2021”, indicava o requerimento de Nuno Brandão, advogado de Paulo Guichard, dirigido à juíza do Juízo Central Criminal de Lisboa.

No requerimento, o advogado referia que, a fim de dar cumprimento do seu dever processual de comparecer perante a autoridade judiciária quando para tal convocado, o arguido Paulo Guichard regressará a Portugal durante esta semana.

Paulo Guichard pretendia apresentar-se esta tarde num outro processo em que foi condenado a nove anos e seis meses por crimes económico-financeiros graves ligados ao BPP, não tendo a pena deste processo transitado em julgado.

FonteRTP

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.