Radio Calema
InicioMundo LusófonoBrasilCPI dá 48h para Queiroga explicar abandono da Coronavac em 2022

CPI dá 48h para Queiroga explicar abandono da Coronavac em 2022

CPI da Covid no Senado dá 48h para ministro Marcelo Queiroga explicar abandono da Coronavac em 2022

Ministério da Saúde anunciou que governo federal não tem intenção de adquirir novas doses do imunizante

Comissão desistiu de ouvir pela terceira vez ministro da Saúde

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado aprovou nesta terça-feira (5) requerimento com questionamentos ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre a descontinuidade do uso da Coronavac em 2022. O ministério anunciou que não há intenção do governo federal em adquirir novas doses do imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo do estado de São Paulo.

Como um novo depoimento do ministro foi descartado, a comissão encaminhou os questionamentos. Apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), o documento cobra em 48 horas as seguintes informações:

Detalhes do Plano Nacional de Imunização a ser executado em 2022

Programa de Acompanhamento Epidemiológico

Medidas tomadas para esclarecer dúvidas da população em relação à vacinação e

Detalhes sobre a descontinuidade da aplicação da Coronavac a partir do ano que vem

Atual composição da câmara técnica em imunização.

Os senadores também querem saber a atual situação do estoque de vacinas contra a covid-19 e qual o planejamento das campanhas de vacinação para a vacinação de adolescentes e aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 em idosos e trabalhadores da área da saúde.

Nesta terça, a CPI ouve o sócio da VTCLog Raimundo Nonato Brasil. A empresa de logística, encarregada do transporte de medicamentos e vacinas, é investigada por suspeita de corrupção e sobrepreço em contrato com o Ministério da Saúde.

A comissão apura a relação de Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, apadrinhado por lideranças do Centrão, em contrato entre a empresa e o Ministério da Saúde.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.